Cotidiano

Governo descarta passaporte da vacina em Mato Grosso do Sul

Assunto rendeu confusão durante audiência pública em Campo Grande na tarde de ontem

Gabriel Maymone Publicado em 28/09/2021, às 12h58

MS não deverá ter obrigatoriedade de comprovação de vacina para entrada em estabelecimentos
MS não deverá ter obrigatoriedade de comprovação de vacina para entrada em estabelecimentos - Marcos Ermínio / Midiamax

O governo de Mato Grosso do Sul anunciou nesta terça-feira (28) que a possibilidade do passaporte de vacina está descartado no Estado. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou que a medida não foi validada pelo Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), que determina todas as ações relacionadas à covid.

"Isso não existe nas prioridades do governo. Quem determina qualquer ação é o Prosseguir, que não validou ainda essa discussão", declarou durante evento para anunciar o cronograma de obras do Aquário do Pantanal, na manhã desta terça-feira.

A possibilidade sobre a implantação do passaporte de vacina chegou a ser debatido pelo governo, inclusive constava no programa de volta à normalidade, anunciado na segunda-feira (27), quando o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, anunciou que o projeto deveria ser enviado ainda no mesmo dia para apreciação na Alems (Assembleia Legislativa de MS).

Contudo, Reinaldo pontuou que se tratava apenas da opinião isolada do secretário, "que não tem apoio da equipe do Prosseguir. Ontem teve decisão de que essa discussão não está no foco nesse momento", afirmou.

Na quarta-feira (29), o Prosseguir irá divulgar os detalhes técnicos que levaram à decisão.

Passaporte em Campo Grande

Na Capital, a decisão sobre a implantação de um passaporte de vacina contra covid passou por audiência pública na segunda-feira, que foi encerrada antes do previsto por conta de confusão generalizada.

Nesta terça-feira, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que ainda deve consultar a população para saber a opinião dos campo-grandenses a respeito da iniciativa. 

A ideia é que os consumidores apresentem o comprovante da vacinação para conseguir entrar nos estabelecimentos. Com toda a polêmica em torno da iniciativa, Marquinhos não tomou partido e disse que aguarda para saber se o projeto será aprovado. “Estamos aguardando a decisão dos projetos de lei para analisar a implementação. Eu vou esperar a decisão da Câmara Municipal, consultar o grupo técnico e ouvir a população, para tomarmos a decisão”, comentou durante agenda no parque Ayrton Senna na manhã desta terça (28). 

Jornal Midiamax