Política

Às vésperas de eleição no Senado, Simone Tebet será entrevistada pela GloboNews

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), candidata à presidência do Senado Federal, será uma das entrevistadas do programa Em Foco com Andréia Sadi, da GloboNews, no sábado (30), a dois dias da eleição. Seu principal adversário, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), também será sabatinado. A entrevista com Simone começa às 20h30 (de MS). O pleito na Casa Alta […]

Adriel Mattos Publicado em 29/01/2021, às 11h26 - Atualizado às 11h34

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), candidata à presidência do Senado Federal, será uma das entrevistadas do programa Em Foco com Andréia Sadi, da GloboNews, no sábado (30), a dois dias da eleição. Seu principal adversário, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), também será sabatinado.

A entrevista com Simone começa às 20h30 (de MS). O pleito na Casa Alta do Congresso Nacional está marcado para segunda-feira, 1º de fevereiro.

Independente

Ontem, quinta-feira (28), a sul-mato-grossense anunciou que será candidata independente, após o MDB ceder à pressão do atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-MG), para integrar o bloco de Pacheco.

O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), admitiu que não há unidade na bancada do partido em torno do nome de Simone. A legenda tem 15 parlamentares, maior representação na Casa.

A oferta feita aos emedebistas foi ocupar a 1ª Vice-Presidência, posição já ofertada ao PSD. Procurados pelo portal UOL, senadores da legenda disseram que não aceitarão facilmente serem trocados pelo MDB.

“Há dois anos, abri mão da minha candidatura por um projeto que visava a independência. Hoje, a independência do Senado Federal está comprometida, porque temos um candidato do governo federal. Nos momentos mais difíceis do Brasil, o Senado achou saída para a crise. Não é possível dar uma saída aos problemas se não tivermos a absoluta independência”, disse Simone em entrevista coletiva.

A emedebista defendeu a volta do auxílio emergencial e das reformas, principalmente a tributária, “que garanta justiça social, onde quem ganha menos, tenha que pagar proporcionalmente menos”. Ela ainda reforçou o fato de ser a primeira mulher candidata ao cargo e prestou homenagem às médicas e enfermeiras no enfrentamento à pandemia de Covid-19.

“Não me considero candidata avulsa. Represento um grupo de senadores que contam comigo, e o compromisso desse grupo é com a independência do Senado. Nossa campanha começa agora novamente”, afirmou.

Jornal Midiamax