O deputado estadual (PT) recomendou a adoção de um plano emergencial para frear a disparada de casos, internações e mortes pela em Mato Grosso do Sul. O Estado registrou 86 óbitos nas últimas 24 horas, recorde desde o início da pandemia.

Para o petista, as restrições impostas até agora não deram resultado. “Acredito que as autoridades sanitárias e os gestores públicos devem fazer uma avaliação mais apurada da situação para a adoção de um plano emergencial”, opinou.

Este ano, os municípios de Mato Grosso do Sul ficaram apenas dez dias sob restrições mais severas, entre 26 de março e 4 de abril. No período, o governo estadual proibiu o funcionamento de atividades não essenciais e decretou toque de recolher das 16h às 5h nos fins de semana.

Kemp ainda alertou sobre as reclamações de passageiros do transporte público, principalmente de Campo Grande. “O , por exemplo, merece uma atenção especial. Há muita reclamação dos usuários de que os ônibus estão andando lotados”, disse.

Cientistas e especialistas em Saúde vêm condenando aglomerações e apontando ambientes fechados e com pouca circulação de ar como muito propícios para a propagação do vírus da covid-19. Nas últimas semanas, vereadores de Campo Grande chegaram a pedir ao Consórcio Guaicurus que aumente a frota de ônibus para evitar lotações.

Com o recorde registrado hoje (8), Mato Grosso do Sul chegou ao total de 4.717 mortes causadas pela covid-19.