Política

Apesar da maioria favorável, vereadores rejeitam mudança em nome de rua da Chácara dos Poderes

Projeto de modificação em nome de vias é constante na Câmara Municipal

Mayara Bueno Publicado em 15/04/2021, às 11h47

Vereadores durante sessão virtual desta quinta-feira (15)
Vereadores durante sessão virtual desta quinta-feira (15) - (Foto: Reprodução/Facebook)

Mudança no nome de uma rua no Bairro Chácara dos Poderes, em Campo Grande, virou polêmica na Câmara Municipal de Campo Grande nesta quinta-feira (15). Foram 16 votos favoráveis e 7 contrários - como este tipo de proposição precisa de, no mínimo, 20 votos a favor, a medida foi rejeitada e deve ser arquivada.

Dois projetos de leis com mudança estavam pautados e o que muda para Rua Maria Giselda Albuquerque Costa - Dona Gisa, a Rua Colina, localizada entre a Rua Joaquim Murtinho e Rua Vicente de Paulo, no Bairro Chácara Cachoeira, foi retirado. O segundo era do vereador João César Mattogrosso (PSDB) e modificaria a denominação da estrada NE-E, na Chácara dos Poderes, para Rua Firmo Alves.

A princípio, o presidente Carlão (PSB) sugeriu que a análise fosse adiada, mas o autor ponderou que, na próxima semana, há possibilidade de ele deixar a cadeira de vereador, uma vez deve ocupar cargo no Governo de Mato Grosso do Sul - medidas no Legislativo só podem ser analisadas com a presença do vereador propositor.

Colocada em votação, a proposta foi questionada porque moradores da região manifestaram contrariedade em mudar a nomenclatura da via. João César ponderou que, a regra atual, diz que o projeto está apto quando há anuência de um terço dos moradores da rua. No caso da estrada, só um morador vive na via e foi ele quem solicitou a modificação, em homenagem ao avô.

"Conforme você muda, descaracteriza o plano original. Recebi várias assinaturas de moradores", comentou Betinho (Republicanos), contrário à mudança. "Gostaria de colocar que todas essas ruas [da Chácara dos Poderes] vão, um dia, ser substituídas por nomes próprios", opiniou o autor da propositura, depois de explicar que já houve modificações deste tipo em outros bairros.

João Rocha (PSDB) também defendeu a mudança, dizendo que não via empecilho. "É uma região em franco desenvolvimento, são chácaras e, quando começaram a construir, acharam por bem colocar o nome das vias com pontos cardeais. [Na via] só mora uma pessoa, cidadão que também conheço e sou amigo".

Apesar de parecer projeto simples, alteração na denominação de vias é constante na Casa de Leis, bem como a reclamação de moradores - porém, na maioria dos casos, é aprovada e colocada em vigor.

Jornal Midiamax