Política

Vexame: investigado por corrupção, Reinaldo é vaiado em agenda de Bolsonaro no MS

Revoltados com o abafamento do som e pedidos de ‘fora’ ao governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), durante passagem do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) ao Estado, plateia que acompanhava o evento encaminhou vídeo no qual mostra momento do protesto. Além das vaias, os apoiadores do presidente gritavam ‘fora’ para o governador […]

Mayara Bueno Publicado em 18/08/2020, às 12h53 - Atualizado em 19/08/2020, às 12h50

Reinaldo Azambuja (PSDB) pasosu vexame em agenda oficial do presidente Jair Bolsonado em MS (Foto: Carolina Antunes, Presidência da República)
Reinaldo Azambuja (PSDB) pasosu vexame em agenda oficial do presidente Jair Bolsonado em MS (Foto: Carolina Antunes, Presidência da República) - Reinaldo Azambuja (PSDB) pasosu vexame em agenda oficial do presidente Jair Bolsonado em MS (Foto: Carolina Antunes, Presidência da República)

Revoltados com o abafamento do som e pedidos de ‘fora’ ao governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), durante passagem do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) ao Estado, plateia que acompanhava o evento encaminhou vídeo no qual mostra momento do protesto.

Além das vaias, os apoiadores do presidente gritavam ‘fora’ para o governador investigado por corrupção no âmbito da Operação Vostok. Em julho deste ano, o chefe do Executivo estadual e seu filho, Rodrigo Azambuja, foram indiciados pela Polícia Federal pelos crimes de lavagem de dinheiro, formação de organização criminosa e corrupção passiva.

Reinaldo é suspeito de ter recebido R$ 67 milhões em propina pagos pela JBS. Com o esquema, os cofres estaduais tiveram prejuízo estimado em R$ 209 milhões. O Grupo JBS manteve, segundo as apurações do STJ, ‘acordo criminoso’ com o governador em pagamentos de vantagem indevida em troca de créditos tributários. Para justificar a retirada de dinheiro, eram emitidas notas fiscais sem contrapartida de bens ou serviços.

As vaias foram ouvidas tão logo o nome de Reinaldo foi anunciado pelo cerimonial, na manhã desta terça-feira. Com a manifestação, o microfone que captava som dos presentes teve o áudio cortado, sendo reaberto apenas quando Reinaldo subiu ao púlpito.

Ao longo da fala do governador, foi possível ouvir presentes gritando “Fora Reinaldo”. Ao cumprimentar o prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, também foi possível ouvir vaias.

Bolsonaro veio a Mato Grosso do Sul para inaugurar a Estação Radar em Corumbá. Depois do evento, ele participa de um almoço em sua homenagem e vem para Campo Grande, de onde sai rumo a Nioaque, cidade onde serviu no Grupo de Artilharia de Campanha, de 1979 a 1981. Lá, ele visita o 9º GAC – Grupo Major Cantuária, para plantar árvore pau-brasil e assinar o Livro de Honra.

Confira o vídeo:

Jornal Midiamax