Política

Vereadora pede punição após fala de colega sobre salão de beleza e feminicídio

Apesar do pedido para retirada do trecho de sua fala durante sessão da Câmara Municipal de Campo Grande, polêmica envolvendo discurso feito pelo vereador Delegado Wellington (PSDB) na tribuna na última terça-feira (7) está longe do fim. Pedido de punição está sendo preparado pela vereadora Dharleng Campos (MDB) para ser protocolado na Presidência da Câmara. […]

Danúbia Burema Publicado em 08/04/2020, às 15h19 - Atualizado em 08/07/2020, às 12h32

Vereador Delegado Wellington (PSDB). (Izaías Medeiros, CMCG).
Vereador Delegado Wellington (PSDB). (Izaías Medeiros, CMCG). - Vereador Delegado Wellington (PSDB). (Izaías Medeiros, CMCG).

Apesar do pedido para retirada do trecho de sua fala durante sessão da Câmara Municipal de Campo Grande, polêmica envolvendo discurso feito pelo vereador Delegado Wellington (PSDB) na tribuna na última terça-feira (7) está longe do fim. Pedido de punição está sendo preparado pela vereadora Dharleng Campos (MDB) para ser protocolado na Presidência da Câmara.

O documento pede que o caso seja encaminhado à Comissão Permanente de de Ética e Decoro Parlamentar, mesmo após Wellington ter declarado que foi interpretada como machismo a fala de que marido nenhum aguentaria uma mulher sem fazer as unhas, sobrancelha e cabelo. A declaração foi feita por ele ao defender que salões de belezas poderiam entrar no contexto de serviço essencial e reabrir durante a quarentena pelo novo coronavírus COVID-19.

No discurso, o vereador seguiu dizendo que as igrejas deveriam ser reabertas, para o fechamento não resultar em feminicídios. “Porque se a pessoa quisesse matar a mulher e os filhos, ele vai e bate na igreja, está fechada. Daí ele fala ‘é um aviso de Deus para eu voltar lá e matar’. Então igreja é essencial, tem que criar mecanismos novos para que a igreja funcione”, disparou. As falas foram gravadas e disponibilizadas junto com o restante da sessão.

Os posicionamentos geraram polêmica em diversas esferas, repercutindo até fora do Estado. Diante da repercussão negativa, o vereador justificou que sua fala ressaltava serviços essenciais e a importância da autoestima feminina. Ele também pediu a retirada do trecho da sessão em que usa a tribuna

PSDB Mulher

Além de lideranças e outras legendas, o próprio partido de Wellington emitiu nota de repúdio contra suas declarações. Presidente do segmento feminino tucano, Mara Caseiro postou em suas redes sociais que, apesar dos avanços na luta pela igualdade de direitos, muitas mulheres ainda enfrentam a banalização da figura feminina.

“Infelizmente, muitos homens ainda não conseguem perceber gestos e palavras que colocam a mulher como um simples objeto, algo inferior, subordinado, secundário e submisso”, diz o trecho da nota oficial do PSDB Mulher de MS. Confira a íntegra da nota na postagem feita por ela e, abaixo, o vídeo contendo a fala do vereador.

Nota oficial do PSDB Mulher de Mato Grosso do Sul

Excelentíssimo vereador e colega partidário, Dr. Wellington, nós do PSDB Mulher não temos dúvidas de como foi grave a sua fala em relação às mulheres e como ela reflete a sociedade e o pensamento do universo machista.

Infelizmente, muitos homens ainda não conseguem perceber gestos e palavras que colocam a mulher como um simples objeto, algo inferior, subordinado, secundário e submisso.

Apesar dos avanços em busca da igualdade de direitos, nós mulheres ainda enfrentamos posicionamentos e atitudes de banalização da figura feminina, ou seja, a aparência das mulheres importa mais do que todos os outros aspectos que as definem enquanto indivíduos.

Tenho convicção de que muitos homens não conseguiram identificar o sentimento machista nesta fala. E, sabe por que? Porque o sistema social do patriarcado ainda persiste em nossa sociedade com a ideia de inferioridade das mulheres em relação aos homens.

Lamentavelmente ainda é normal para alguns homens o pensamento de que eles podem tudo, as mulheres não. Difícil realidade, difícil mudar isso, mas não podemos desistir.

Temos sim, que nos posicionar contra falas como a do senhor, nobre vereador. Devemos exigir respeito e lutar para que essa sociedade machista e preconceituosa faça uma autoanálise, uma reflexão sobre seus conceitos e valores, de modo que a atualidade e os dias vindouros sejam pavimentados com mais igualdade, respeito e amor.

Mara Caseiro
Presidente do PSDB Mulher de Mato Grosso do Sul

Jornal Midiamax