Política

‘Pode ter opinião contrária, mas usar máscara é respeitar o coletivo’, pede prefeito de Campo Grande

Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) disse nesta quarta-feira (13) que o uso de máscaras nas ruas é uma questão de respeito ao interesse coletivo e criticou quem classifica a Covid-19 como uma ‘gripezinha’. “A gente precisa de pessoas conscientes e com comportamento adequado. Tem gente que acredita que tem saúde suficiente para suportar […]

Evelin Cáceres Publicado em 13/05/2020, às 13h18 - Atualizado às 18h18

Marquinhos relembrou as ações da prefeitura para conter a pandemia do novo coronavírus. (Foto Reprodução)
Marquinhos relembrou as ações da prefeitura para conter a pandemia do novo coronavírus. (Foto Reprodução) - Marquinhos relembrou as ações da prefeitura para conter a pandemia do novo coronavírus. (Foto Reprodução)

Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) disse nesta quarta-feira (13) que o uso de máscaras nas ruas é uma questão de respeito ao interesse coletivo e criticou quem classifica a Covid-19 como uma ‘gripezinha’.

“A gente precisa de pessoas conscientes e com comportamento adequado. Tem gente que acredita que tem saúde suficiente para suportar a Covid-19, que acredita que é só uma gripezinha, que isso tudo é balela. Essas falas não passam de opinião, que é da pessoa e a gente respeita. Mas o uso da máscara é necessário, uma posição formada pela Ciência, que você deve usar para respeitar o interesse coletivo”, criticou.

Marquinhos disse, ainda, para que as pessoas não hajam contra todos. “Não queria ser o ‘patinho feio’ da história. Dá para ser diferente sem prejudicar a coletividade. Não adianta 99% das pessoas usarem e 1% não usar, esse 1% pode contaminar todo mundo que está usando, não adianta. Tem que continuar usando e obedecendo as recomendações”, afirmou.

O prefeito reitera que, por enquanto, não prevê obrigatoriedade do uso das máscaras para a população, apenas recomendação. No entanto, há previsão de multa para quem não as usa, como desrespeito às normas sanitárias, assim como quem fica em aglomerações e não mantém a distância social, todas medidas preventivas de contágio do novo coronavírus.

Jornal Midiamax