Política

Petistas ‘famosos’ de Campo Grande não disputam vagas de vereador em 2020

Novos nomes em chapa própria do PT estarão nas urnas dos eleitores nas eleições deste ano, mas os famosos do partido, como Alex do PT e Amarildo Cruz, não devem disputar uma vaga na Câmara Municipal. A sigla garante uma chapa eclética, com sindicalistas, negros, LGBTs, juventude e composta por 50% mulheres e 50% dos […]

Renata Volpe Publicado em 15/06/2020, às 12h06 - Atualizado às 15h17

Ex-vereador, Alex do PT, não vai disputar vaga na Câmara Municipal. (Arquivo)
Ex-vereador, Alex do PT, não vai disputar vaga na Câmara Municipal. (Arquivo) - Ex-vereador, Alex do PT, não vai disputar vaga na Câmara Municipal. (Arquivo)

Novos nomes em chapa própria do PT estarão nas urnas dos eleitores nas eleições deste ano, mas os famosos do partido, como Alex do PT e Amarildo Cruz, não devem disputar uma vaga na Câmara Municipal.

A sigla garante uma chapa eclética, com sindicalistas, negros, LGBTs, juventude e composta por 50% mulheres e 50% dos homens.

Dentre os conhecidos, de acordo com o presidente municipal do partido, Agamenon do Prado, estão o de Luiza Ribeiro, ex-vereadora e do ex-BBB, Mamão. “Temos uma chapa completa e própria, com novos nomes, como da doutora Eugênia, professora da UFMS, a transsexual Kenfy, Carla Canepan. Dos homens temos o suplente professor Francisco, Cabo Pereira além do Airton Araújo e o Mamão”.

Majoritária

O encontro virtual do PT realizado na última sexta-feira (12) e também no sábado (13), consolidou o nome do deputado estadual Pedro Kemp como pré-candidato a prefeito.

Agora, conforme o presidente municipal, a legenda vai se reunir com outros partido para construir uma frente de esquerda. “Vamos conversar com PSOL, PDT, PCdoB para compor a chapa”.

Para candidata a vice-prefeita, o nome de Cris Duarte, do PSOL é o cotado. “Um dos nomes indicados pelo PSOL é da Cris, jovem lutadora.

Vamos sentar com todos os partidos e abrir conversa agora. Preferência para vice do Kemp é ser mulher, estamos fazendo esse debate internamente”.

Jornal Midiamax