Política

Inquérito investiga se vereadores de Angélica receberam salários acima do teto

Os vereadores de Angélica que tiverem recebido valores acima do máximo permitido deverão devolver quantia aos cofre públicos.

Gabriel Maymone Publicado em 17/06/2020, às 18h03 - Atualizado às 18h11

Vereadores de Angélica são investigados pelo MPMS. (Imagem: divulgação)
Vereadores de Angélica são investigados pelo MPMS. (Imagem: divulgação) - Vereadores de Angélica são investigados pelo MPMS. (Imagem: divulgação)

Inquérito Civil do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) apura possíveis irregularidades no recebimento de subsídios acima do teto por vereadores da Câmara de Angélica – cidade distante 266 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com os autos, os atuais vereadores de Angélica e um ex-vereador do município teriam recebidos valores acima do teto entre 2015 e 2019. Atualmente, segundo o Portal da Transparência do órgão, o salário-base de um vereador é de 5.064,45.

Embasa o inquérito levantamento realizado pela Controladoria da Câmara Municipal, que identificou os vereadores que receberam a quantia, bem como o montante individual que deve ser devolvido aos cofres públicos.

No documento, o promotor de Justiça Daniel do Nascimento Britto instaurou o Inquérito Civil para colher informações, depoimentos, certidões, perícias e outras diligências. Os vereadores têm prazo de 15 dias para apresentarem esclarecimento sobre o caso.

Jornal Midiamax