Política

Claro é do Azambuja: Bernal diz que Reinaldo descumpriu parceria com o PP

Somente Gerson Claro ganhou autarquia; Governo havia prometido secretarias ao partido, segundo ex-prefeito

Adriel Mattos Publicado em 08/09/2020, às 10h36 - Atualizado às 15h15

Reinaldo Azambuja e Alcides Bernal (Arquivo)
Reinaldo Azambuja e Alcides Bernal (Arquivo) - Reinaldo Azambuja e Alcides Bernal (Arquivo)

O ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), criticou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) nesta terça-feira (8), já que o chefe do Executivo estadual descumpriu o acordo eleitoral de 2018.

Ao Jornal Midiamax, ele afirmou que o líder do governo na Assembleia Legislativa, Gerson Claro (PP), não é progressista.

“Ele é do [Reinaldo Azambuja]. Nosso acordo era para uma gestão progressista, com transparência e eficiência. Queríamos espaço, alguma secretaria. Mas tivemos apenas o Gerson [Claro] no Detran [Departamento Estadual de Trânsito]”, disse.

Bernal destacou que ainda quer esse espaço. “Precisamos do que foi combinado. Precisamos participar em algum órgão”, frisou.

O ex-prefeito de Campo Grande foi cassado em março de 2014 por maioria da Câmara de Vereadores de Campo Grande. Até então, Bernal seguia linha independente na Prefeitura, optando por não fazer alianças políticas. Com a eleição de Reinaldo Azambuja, no entanto, o ex-prefeito admitiu proximidade com os tucanos.

Eleições municipais

O ex-prefeito fez a crítica ao comentar que não vai participar da convenção do partido, marcada para esta terça-feira (8).

“Eu não vou. O [vereador] Cazuza e o [deputado estadual] Evander [Vendramini] escolheram o Esacheu [Nascimento]. Como estou inelegível até 7 de outubro, não posso causar celeuma”, finalizou.

Jornal Midiamax