Política

Vander avalia que quanto mais ministros, mais chance MS tem de receber recursos

“Quanto mais ministros um estado possui dentro do governo, maiores são as chances de esse estado angariar e liberar investimentos. Isso é fato”, avaliou o deputado federal Vander Loubet (PT) sobre a possível indicação da senadora Simone Tebet (MDB) para assumir o Ministério da Integração Nacional. Em resposta ao Jornal Midiamax, por meio de sua […]

Daiany Albuquerque Publicado em 09/05/2019, às 18h25

Deputado federal Vander Loubet (Divulgação, Arquivo).
Deputado federal Vander Loubet (Divulgação, Arquivo). - Deputado federal Vander Loubet (Divulgação, Arquivo).

“Quanto mais ministros um estado possui dentro do governo, maiores são as chances de esse estado angariar e liberar investimentos. Isso é fato”, avaliou o deputado federal Vander Loubet (PT) sobre a possível indicação da senadora Simone Tebet (MDB) para assumir o Ministério da Integração Nacional.

Em resposta ao Jornal Midiamax, por meio de sua assessoria, o deputado alegou que preferia não comentar o mérito da questão, por ser um parlamentar de oposição ao governo de Jair Bolsonaro (PSL).

“Acredito que não cabe a mim emitir opinião sobre os ministros escolhidos pelo governo. Isso é tema de análise para quem está na base do governo”, declarou Vander.

O nome da senadora, que é presidente da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado, ganhou notoriedade no Palácio do Planalto depois que ela abdicou de sua candidatura à presidência da Casa em nome de Davi Alcolumbre (DEM-AP), que acabou se elegendo.

Após esse ato a senadora ganhou aliados no Senado e também no DEM, partido que está na base do Governo Federal. A indicação para ocupar a Integração e o Ministério das Cidades, recriados nesta semana com a extinção do Ministério do Desenvolvimento Regional, ficaria a cargo de Alcolumbre e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Desde que o governo sinalizou a preferência por nomes do MDB, ambos teriam sido procurados por diversos parlamentares, deixando a disputa acirrada. Nos bastidores, há uma ala da sigla que articula a indicação de Simone Tebet.

Além de Simone, também estão entre os cotados o senador Fernando Bezerra Coelho (PE), que já ocupou a pasta no primeiro mandato de Dilma Roussef (PT), de 2011 a 2013, e Romero Jucá (RO).

A Medida Provisória 870 que, entre outras coisas, recria o Ministério da Integração Nacional e o Ministério das Cidades, após a extinção do Ministério do Desenvolvimento Regional, está em tramitação na Câmara dos Deputados e no Senado e deverá ser votada até o fim deste mês.

Jornal Midiamax