Política

Se Contar não aceitar pré-candidatura, PSL vai buscar nome ‘fora da política’

Nome preferido da senadora Soraya Thronicke e do deputado federal Loester Trutis para disputar pelo PSL a prefeitura de Campo Grande em 2020, o deputado estadual Capitão Contar ainda não deu sinal positivo sobre sua pré-candidatura e um plano B, de fora do meio político, já está em estudo pelas lideranças do partido. A afirmação […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 27/07/2019, às 16h30 - Atualizado em 28/07/2019, às 18h50

Deputado federal Trutis, senadora Soraya e deputado estadual Contar (Foto: Nyelder Rodrigues/Jornal Midiamax)
Deputado federal Trutis, senadora Soraya e deputado estadual Contar (Foto: Nyelder Rodrigues/Jornal Midiamax) - Deputado federal Trutis, senadora Soraya e deputado estadual Contar (Foto: Nyelder Rodrigues/Jornal Midiamax)

Nome preferido da senadora Soraya Thronicke e do deputado federal Loester Trutis para disputar pelo PSL a prefeitura de Campo Grande em 2020, o deputado estadual Capitão Contar ainda não deu sinal positivo sobre sua pré-candidatura e um plano B, de fora do meio político, já está em estudo pelas lideranças do partido.

A afirmação é de Soraya, que acompanhou parte da agenda do ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, sexta-feira (26) na Capital. “Ele ainda não aceitou, mas é o Capitão Contar. Pra mim, a cadeira nesse momento é dele”, frisa.

A senadora ainda destaca que é realizado um trabalho para convencer o deputado a topar a pré-candidatura e futura candidatura, que precisa passar por convenção partidária devidamente registrada. “[Se Contar recusar o convite] temos alguém para o lugar dele, mas é uma pessoa de fora da política”, conta Soraya, sem revelar o nome.

No início do mês, em ato de filiação do PSL, Capitão Contar afirmou que está focado em seu mandato na Assembleia Legislativa, mas que “não tem medo da guerra”, se referindo a disputa eleitoral para prefeito ano que vem. Em Dourados, o pré-candidato do PSL é Aristeu Carbonaro, enquanto em Corumbá é Elano Holanda de Almeida.

Sobre o perfil do possível plano B, Soraya afirma que é o perfil das pessoas que ela e seus aliados querem atrair para o PSL. “Nossos braços estão abertos para pessoas comuns, como eu, você, que nunca tiveram espaço”, explica a senadora, que completa.

“Vai lá para o partido grande ver se tem espaço. Não tem espaço, dinheiro, nada. No PSL, se você tiver boa vontade, for honesto, liberal na economia e conservador nos costumes, é bem vindo”, conclui Soraya.

Jornal Midiamax