Política

Com três deputados federais em MS, PSDB fecha apoio à Reforma da Previdência

O PSDB decidiu nesta terça-feira (11) fechar apoio à Reforma da Previdência, durante reunião da Executiva nacional, em Brasília (DF). A legenda conta em Mato Grosso do Sul com três deputados federais: Beto Pereira, Rose Modesto e Bia Cavassa. Ao todo, o PSDB conta com 30 deputados federais na Câmara Federal. Além deles, o governador Reinaldo […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 11/06/2019, às 17h27 - Atualizado em 12/06/2019, às 08h49

Ao centro da mesa, o deputado Beto Pereira (Foto: Divulgação)
Ao centro da mesa, o deputado Beto Pereira (Foto: Divulgação) - Ao centro da mesa, o deputado Beto Pereira (Foto: Divulgação)

O PSDB decidiu nesta terça-feira (11) fechar apoio à Reforma da Previdência, durante reunião da Executiva nacional, em Brasília (DF). A legenda conta em Mato Grosso do Sul com três deputados federais: Beto Pereira, Rose Modesto e Bia Cavassa. Ao todo, o PSDB conta com 30 deputados federais na Câmara Federal.

Além deles, o governador Reinaldo Azambuja também participou do encontro. Mais cedo, no 5º Fórum dos Governadores, os chefes de Executivo já haviam sinalizado positivamente à reforma, mas pediram cinco modificações no texto da reforma ao relator, o deputado federal Samuel Moreira (PSDB).

O apoio tucano à Reforma é um dos primeiros posicionamentos do novo presidente nacional da legenda, Bruno Araújo. Beto Pereira, que além de representante sul-mato-grossense no Congresso, também é secretário-geral do PSDB, frisa que será seguido pelos parlamentares o que constar no relatório pelo relator.

“O nosso partido não podia ter divergências entre seus parlamentares diante de um assunto tão importante. Analisamos dados e chegamos ao entendimento de apoiar a reforma. O Brasil precisa desse ajuste para sanar suas contas e poder fazer novos investimentos”, disse Beto, que é membro da Comissão da Reforma da Previdência.

O relatório do relator deve ser apresentado ao Congresso ainda nesta semana e, se aprovada pela comissão especial instaurada para analisar a questão, será encaminhada em seguida para o plenário da Câmara. “A orientação é que os parlamentares do PSDB votem com o relatório. E todos serão cobrados quanto a isso”, destaca.

Jornal Midiamax