Política

Por pressão de Bernal, Valdir Gomes anuncia que vai deixar o PP

O vereador Valdir Gomes (PP) anunciou nesta terça-feira (26) que deve deixar o PP, partido comandado pelo ex-prefeito Alcides Bernal em Mato Grosso do Sul, alegando sofrer pressão do líder da sigla. “Eu iria esperar a janela, mas devido a essa pressão eu vou sair antes. Vou ao TER [Tribunal Regional Eleitoral] fazer uma consulta […]

Evelin Cáceres Publicado em 26/03/2019, às 10h26 - Atualizado às 16h30

Vereador chegou a mostrar mensagens de Bernal aos jornalistas (Foto: Richelieu Pereira)
Vereador chegou a mostrar mensagens de Bernal aos jornalistas (Foto: Richelieu Pereira) - Vereador chegou a mostrar mensagens de Bernal aos jornalistas (Foto: Richelieu Pereira)

O vereador Valdir Gomes (PP) anunciou nesta terça-feira (26) que deve deixar o PP, partido comandado pelo ex-prefeito Alcides Bernal em Mato Grosso do Sul, alegando sofrer pressão do líder da sigla.

“Eu iria esperar a janela, mas devido a essa pressão eu vou sair antes. Vou ao TER [Tribunal Regional Eleitoral] fazer uma consulta para ver se me liberam para eu ficar sem partido até a janela. É muita pressão e eu não estou a fim de baixaria”, declarou aos jornalistas.

O parlamentar disse que Bernal teria encaminhado uma solicitação para que ele deixasse o partido, sob a justificativa de que ele estaria desgastando a imagem da sigla.

“Essa semana mesmo mandou [mensagem via WhatsApp] que vai buscar a minha desfiliação. É uma falta de respeito. Vou ao TRE para ver a maneira mais fácil para eu deixar o partido. Ele fica mandando mensagens e não coragem de falar em público”, reclamou.

Valdir Gomes disse ainda que teria sido chamado para ir para o PSDB e para o PSD. “O partido do prefeito tem me assediado bastante. Mas eu não tomei decisão ainda”, finalizou.

Reuniões e desgaste

Além do vereador Valdir Gomes, que já declarou estar de malas quase prontas para deixar o PPassim que abrir a janela partidária, sua correligionária Dharleng Campos também pode trocar de legenda e desfalcar ainda mais o partido de Alcides Bernal na Câmara Municipal de Campo Grande.

Segundo a parlamentar, existe uma crise instalada dentro dos Progressistas evidenciada pelas reuniões internas entre lideranças para pedir um rumo ao presidente regional da sigla, Bernal, e tentar entender o que está acontecendo.

“Nós não estamos participando das decisões e isso já faz muito tempo. Nós não somos chamados para conversar, para participar das decisões que são tomadas dentro do partido. Isso infelizmente não acontece”, se queixa Dharleng. “Há uma crise. Está bem claro que existe”.

Neste mês, Valdir Gomes e Cazuza se reuniram com lideranças do PP de Mato Grosso do Sul, na Assembleia Legislativa, para discutir a situação da legenda e demonstrar insatisfação com a direção regional do partido.

Após a reunião, Alcides Bernal declarou ao Jornal Midiamax que, antes de sua chegada, “o PP era um partido inexpressivo” e que até os mandatos daqueles que reclamaram de seu trabalho na presidência do diretório estadual foram conquistados com sua participação.

Jornal Midiamax