O deputado (MDB) comparou os elementos que levaram à prisão do ex-governador André Puccinelli (MDB) aos que subsidiaram a ação da Polícia Federal, no âmbito da Operação Vostok, onde o atual governador e candidato à reeleição Reinaldo Azambuja (PSDB) foi um dos implicados. Ele sugeriu que o tucano desse explicações pessoalmente na Assembleia Legislativa.

O emedebista usou a Tribuna na sessão desta quarta-feira (19), logo após aliados de Azambuja criticarem a operação, citando que os fatos que embasaram a operação seriam ‘requentados' e que já teriam sido amplamente apurados pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das irregularidades fiscais e tributárias.

A comissão foi instaurada na Casa de Leis dias após a divulgação de trechos da delação dos executivos da JBS que atribuíram à cúpula do governo tucano suposto recebimento de propina em troca da concessão de benefícios fiscais.

Siufi pediu que os pares não se ‘esquecessem' que nenhum fato novo que justificasse a prisão de Pucinelli foi apresentado e, mesmo assim, o emedebista foi preso pela Polícia Federal, quando liderava pesquisas de intenção de voto para o Governo Estadual.

“Não se esqueçam dele que estava em primeiro lugar nas pesquisas. Sou ‘Andrezista' e Pucinelli está pagando um preço muito caro diante de tudo que já fez por Mato Grosso do Sul”, disse o parlamentar, direcionando sua fala aos companheiros que defenderam o rigor da apuração da CPI e suposta ausência de elementos na recente investigação cuja qual Azambuja é um dos alvos.

O parlamentar ainda sugeriu que o tucano seguisse o ‘exemplo' do colega (DEM) e fosse a uma sessão da Casa de Leis para prestar esclarecimentos à população, como o pecuarista fez na Tribuna nesta quarta-feira (19). A atitude, segundo Siufi, poderia seria nobre e garantiria mais transparência a gestão tucana.