Política

Servidores levam caixão à Assembleia para protestar contra reajuste

Técnicos da UEMS reclamam da falta de diálogo com SAD

Ludyney Moura Publicado em 03/04/2018, às 13h00

None

Técnicos da UEMS reclamam da falta de diálogo com SAD

Um grupo de servidores estaduais, técnicos administrativos da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), levou um caixão para protestar contra o reajuste linear de 3,04% oferecido pelo governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) ao funcionalismo público.

De acordo com o presidente do sindicato da categoria, Rubens Uruê, o salário dos técnicos administrativos da universidade é o menor do país, e está é primeira manifestação com paralisação na história da categoria.Servidores levam caixão à Assembleia para protestar contra reajuste

Eles reclamam que não há progressão funcional na carreira, e por isso buscam uma reformulação no PCC (Plano de Cargos e Carreira) da categoria. A base salarial do nível médio é de R$ 1,6 mil, e nível superior R$ 2,2 mil.

Segundo Rubens, desde 2015 a categoria tenta dialogar com a SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), e neste ano alega que a pasta cancelou qualquer possibilidade de negociação salarial.

Voto não

Antes de começar a sessão desta terça-feira (3), o deputado estadual Paulo Siufi (MDB), antecipou que votará contrário à proposta do governo.

O emedebista alega que é ‘absurdo’ votar o reajuste antes mesmo das categorias discutirem o assunto em uma audiência pública marcada para a tarde de hoje, pela Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul). Para Siufi, os 3.04% não repõem as perdas salariais do funcionalismo público.

Jornal Midiamax