Política

Reinaldo volta atrás e diz que reajuste na tarifa do ônibus depende das prefeituras

Durante agenda pública na tarde desta quarta-feira (6), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) voltou atrás na afirmação declarada recentemente de que o preço da tarifa do ônibus poderia ser reduzido com a queda no preço do óleo diesel. Conforme Azambuja, a situação deve ser analisada através de uma planilha. “O preço do transporte tem uma […]

Mariane Chianezi Publicado em 06/06/2018, às 16h36 - Atualizado às 17h35

No centro da foto, Marquinhos Trad e Reinaldo Azambuja durante agenda. (Maisse Cunha, Arquivo)
No centro da foto, Marquinhos Trad e Reinaldo Azambuja durante agenda. (Maisse Cunha, Arquivo) - No centro da foto, Marquinhos Trad e Reinaldo Azambuja durante agenda. (Maisse Cunha, Arquivo)

Durante agenda pública na tarde desta quarta-feira (6), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) voltou atrás na afirmação declarada recentemente de que o preço da tarifa do ônibus poderia ser reduzido com a queda no preço do óleo diesel.

Conforme Azambuja, a situação deve ser analisada através de uma planilha. “O preço do transporte tem uma planilha e essa planilha tem que ser conferida. Tem que ver quando estava custando o diesel quando foi calculada no valor da tarifa atual”, afirmou.

Em agenda pública na última terça-feira (5), Azambuja defendeu que com a diminuição no ICMS do óleo diesel a discussão sobre o valor das tarifas de ônibus viriam à tona novamente, questão rebatida pelo prefeito Marquinhos Trad na manhã desta quarta-feira (6).

O governador ainda comentou que cada cidade tem seus organismos de controle de tarifa de transporte coletivo e cada uma deve analisar a sua situação. “Se houvesse uma diminuição no custo dessa tarifa, nada mais justo que isso chegue ao consumidor final”, finalizou Reinaldo.

Redução descartada

Pela manhã, o prefeito Marquinhos Trad (PSB) disse que o governador teria sido equivocado ao sugerir que o preço da tarifa fosse reduzido, tendo a Prefeitura Municipal descartado qualquer possibilidade de desconto no passe. “Acredito que o governador falou sem fundamentação técnica dos dados que o contrato prevê”, disparou o prefeito.

Marquinhos explicou que quando o valor da tarifa foi reajustado para os atuais R$ 3,70, em dezembro de 2017, o diesel estava custando R$ 3,13, e que de lá até hoje, mesmo após as reduções provocadas pela greve dos caminhoneiros, o preço final do combustível ‘subiu muito.

“Em nenhum momento as empresas (do Consórcio Guaicurus) falaram em repassar o aumento da tarifa para que houvesse reequilíbrio do contrato. O dado base que a gente se utiliza do valor do óleo diesel é o da Agência Nacional de Petróleo (ANP) que é bem menor que o valor cobrado aqui pelo Governo do Estado”, alegou Trad.

Jornal Midiamax