Política

Polarização na eleição é destaque na imprensa internacional

A eleição presidencial no Brasil voltou a ser destaque na imprensa internacional hoje (7), dia de primeiro turno. Portais de notícias de diversos países tratam da polarização entre eleitores e abordam expectativas para o pleito. O desempenho do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, nas últimas pesquisas eleitorais também é amplamente citado na cobertura. O jornal […]

Agência Brasil Publicado em 07/10/2018, às 12h34

(Arquivo)
(Arquivo) - (Arquivo)

A eleição presidencial no Brasil voltou a ser destaque na imprensa internacional hoje (7), dia de primeiro turno. Portais de notícias de diversos países tratam da polarização entre eleitores e abordam expectativas para o pleito. O desempenho do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, nas últimas pesquisas eleitorais também é amplamente citado na cobertura.

O jornal espanhol “El País” diz que a frustração de brasileiros com políticos e soluções extremas contra a violência e a corrupção movem eleitores de Bolsonaro, citado como ultraconservador. O periódico destaca ainda o desempenho de Fernando Haddad, do PT, no Nordeste, e afirma que “a terra de candidato de Lula confia em seu sucessor”.

A edição do “The New York Times” relata todo o “drama” da eleição presidencial no Brasil este ano, com destaque para a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o atentado à faca contra Jair Bolsonaro e o movimento organizado de mulheres contra o candidato do PSL. O jornal cita ainda a possibilidade de definição do chefe de Estado em primeiro e em segundo turno.

O jornal argentino “Clarín” estampa os últimos resultados das pesquisas Datafolha e Ibope e diz que Bolsonaro amplia a diferença em relação a Haddad na reta final do pleito. O periódico traz dados como a lista completa de candidatos à disputa presidencial, total de brasileiros aptos a votar e horário estimado para o resultado do primeiro turno – 20h.

O italiano “Corriere della Sera, por meio da reportagem “Do lixo de TV à cédula. A onda Bolsonaro no Brasil” traça uma linha do tempo do candidato do PSL na corrida presidencial – desde sua participação em programas de humor, respondendo a temas polêmicos como educação sexual, racismo e direitos das mulheres, à “possível futuro líder do Brasil”.

Jornal Midiamax