Política

Parente foi fundamental na Petrobras, mas estatal precisa de ‘gestor político’, diz Simone

Pedro Parente pediu demissão do cargo de presidente da Petrobras nesta manhã, e enviou carta ao presidente Michel Temer

Aliny Mary Dias Publicado em 01/06/2018, às 13h19

None

Líder do MDB no Senado, Simone Tebet afirmou nesta sexta-feira (1º) que Pedro Parente, que pediu demissão do cargo de presidente da Petrobras, foi fundamental para a recuperação da estatal. Para a senadora, o novo mandatário da petrolífera precisa ser um “gestor político”.

Através da assessoria de imprensa, Simone afirmou que Parente deixou marcas importantes na presidência e que não faltou competência. “Não faltou gestão, mas, sensibilidade para entender o momento pelo qual o Brasil atravessa, e fazer da Petrobras um instrumento de desenvolvimento e justiça social, também atribuições da Estatal”, disse.

Em relação ao novo presidente, a senadora sul-mato-grossense afirmou que o sucessor tem de entender de política. “Que seja competente e experiente, mas, acima de tudo, político para entender que a Petrobras, embora tenha autonomia administrativa, é uma Estatal que pertence ao povo brasileiro”

Demissão

Antes de pedir demissão, nesta manhã, Parente vinha sendo criticado pela política de preços dos combustíveis implantada durante sua gestão, que levou a aumentos de preços que culminaram com a paralisação dos caminhoneiros.

Pela manhã, Parente se reuniu com o presidente Michel Temer (MDB-SP) no Palácio do Planalto, em Brasília. Parente ficou exatamente dois anos no comando da Petrobras, já que tomou posse no dia 1º de junho de 2016.

De acordo com comunicado da estatal, a nomeação de um CEO interino será examinada ao longo do dia pelo Conselho de Administração. A diretoria executiva da companhia não sofrerá qualquer alteração.

Jornal Midiamax