Política

No fim da fila para deputado estadual, candidato de 75 anos recebeu apenas dois votos em MS

João Bartolomeu de Souza, de 75 anos, foi o candidato menos votado nas eleições deste domingo (7) para o cargo de deputado estadual. Somente duas pessoas viram seu nome na urna e votaram no seu número, 19888. Em penúltimo está Eliane Menezes, com três votos. Fabíola Arruda aparece em antepenúltimo, com 16 votos. E o […]

Evelin Cáceres Publicado em 08/10/2018, às 12h07 - Atualizado às 18h18

None

João Bartolomeu de Souza, de 75 anos, foi o candidato menos votado nas eleições deste domingo (7) para o cargo de deputado estadual. Somente duas pessoas viram seu nome na urna e votaram no seu número, 19888.

Em penúltimo está Eliane Menezes, com três votos. Fabíola Arruda aparece em antepenúltimo, com 16 votos. E o que os últimos candidatos têm em comum é o partido, já que todos são do Podemos.

Dos três, apenas uma tem perfil nas redes sociais. No entanto, nada é mencionado sobre a sua candidatura à deputada estadual.

O presidente do Podemos foi procurado pelos números informados no site da legenda, mas a mensagem automática informa que os números não existem.

De acordo com o Divulgacand, nenhum deles declarou ter recebido dinheiro do partido para fazer campanha. Eles também não declararam terem bens. Entre os dez menos votados nessas eleições, sete são mulheres.

Cota parlamentar

Atualmente, o TSE contabiliza que as mulheres representam 52,12% do eleitorado de Mato Grosso do Sul, enquanto os homens somam 47,87%. Nas últimas eleições, elas eram 51,68% dos eleitores.

A proporção de 30,7% não evoluiu desde as últimas eleições presidenciais, em 2014, em que 31,1% dos candidatos eram mulheres, e continua abaixo da média da população brasileira. No país, a cada 10 pessoas, 5 são do sexo feminino.

Desde 1997, a lei eleitoral exige que os partidos e as coligações respeitem a cota mínima de 30% de mulheres na lista de candidatos para o Senado, Câmara Federal, Assembleia Legislativa e Câmara Municipal.

Jornal Midiamax