Política

Indefinição: decisão por aliança pode rachar o DEM em MS, afirma deputado

A demora da executiva regional do Democratas em definir em qual palanque estará nas eleições de outubro pode ser uma tentativa de não rachar o partido, é que afirmou na manhã desta quarta-feira (11) um dos integrantes da bancada da sigla na Assembleia  Legislativa. “O partido é um time em que deve jogar todo mundo […]

Ludyney Moura Publicado em 11/07/2018, às 11h14

DEM quer Murilo no Senado (Foto: Reprodução/Facebook)
DEM quer Murilo no Senado (Foto: Reprodução/Facebook) - DEM quer Murilo no Senado (Foto: Reprodução/Facebook)
Indefinição: decisão por aliança pode rachar o DEM em MS, afirma deputado
DEM quer Murilo no Senado (Foto: Reprodução/Facebook)

A demora da executiva regional do Democratas em definir em qual palanque estará nas eleições de outubro pode ser uma tentativa de não rachar o partido, é que afirmou na manhã desta quarta-feira (11) um dos integrantes da bancada da sigla na Assembleia  Legislativa.

“O partido é um time em que deve jogar todo mundo junto, na mesma direção”, afirmou o deputado estadual Barbosinha, que no começo de abril trocou o PSB pelo DEM.

De acordo com o parlamentar, a falta de consenso hoje dentro do partido poderia levar a uma divisão interna, caso haja definição que não seja do ‘agrado’ da maioria dos filiados.

O único consenso no partido, revelou Barbosinha, é a intenção de apoiar a pré-candidatura de Murilo Zauith, presidente regional do DEM, ao Senado Federal. Para isso, democratas ainda analisam em qual chapa teriam mais condições.

Por ora, a chapa encabeçada pelo ex-governador André Puccinelli (MDB) teria espaço suficiente para a candidatura de Zauith, enquanto a coligação de Reinado Azambuja (PSDB), já tem dois nomes para o Senado, Nelsinho Trad (PTB) e Marcelo Miglioli (PSDB).

Segundo Barbosinha, partidário de um apoio à chapa tucana, Murilo é um forte nome para representar no Senado municípios da grande Dourados e do Conesul do Estado.

Jornal Midiamax