Política

Assembleia aprova moção contra desembargadora carioca do caso Marielle

Kemp apresentou pedido na Casa

Ludyney Moura Publicado em 22/03/2018, às 15h51

None

Kemp apresentou pedido na Casa

A assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul aprovou na sessão desta quinta-feira (22) uma moção de repúdio à desembargadora Marilia Castro Neves, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) por ‘declarações discriminatória’ feitas em uma rede social após o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ).

A moção foi apresentada pelo deputado Pedro Kemp (PT) e aprovada pela Casa em votação simbólica. O petista afirmou que as declarações da magistrada incitam o ódio e reforçam preconceitos que se traduzem em diversas formas de violência.

No documento, o deputado cita além das ofensas à vereadora morta na semana passada, na qual a juíza acusou Marielle de ser ‘engajada com bandidos’ e ter ‘sido eleita pelo tráfico’, outras publicações de Marília que geraram indignação no país.

Kemp faz menção a uma postagem da desembargadora contra o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), onde ela sugere um ‘paredão profilático’ para o parlamentar, afirmando que ele não valeria ‘a bala que o mate e o pane que limpe a lambança’.

A juíza também fez piada de cunho homofóbico, e atacou a dignidade das pessoas com deficiência, ao questionar a capacidade de uma professora com síndrome de down.

Jornal Midiamax