Política

Schmidt diz que Pedro Chaves terá apoio do PDT para o Senado

Havia rumores de que o senador poderia compor chapa com Odilon Oliveira ao Governo

Maisse Cunha Publicado em 07/06/2018, às 15h13 - Atualizado às 16h34

None

Depois de rumores entre uma eventual chapa entre o ex-juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) e o senador pelo PRB, Pedro Chaves, para o Governo do Estado, o presidente regional da sigla, João Leite Schmidt garantiu que o senador é apenas “um aliado” e que vai disputar reeleição.

Ao Jornal Midiamax, Schmidt admitiu que a possível aliança entre ambos não passaria de rumor e o vice de Odilon ainda não foi definido. “Pedro Chaves é nosso aliado e o foco dele é tentar a reeleição”, disse o presidente.

Chaves, sondado pelos grandes nomes do pleito, já admitiu ter uma simpatia muito grande pelo MDB, do ex-governador André Puccinelli, assim como o também senador por Mato Grosso do Sul, Waldemir Moka (MDB), mas chegou a afirmar que um possível apoio ao governador André Puccinelli (MDB) é considerado atualmente “inviável”.

A aproximação do senador que chegou a ser convidado pelo ex-governador André Puccinelli (MDB) para ser candidato a vice na chapa emedebista ao Governo parece, agora, não ser mais realidade.

Como o MDB dispõe de apenas uma vaga ao senado e Moka também tentará reeleição, a segunda vaga não seria nem destinada a uma coligação partidária, o que diminuiria as chances de um apoio de Chaves a Puccinelli. “Dessa forma inviabiliza porque o candidato do MDB será o Moka, eu sigo com as conversas”, admitiu o senador no final de maio.

Sobre a gestão do Governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o senador havia dito que o tucano está “trabalhando bastante”, mas que ainda está em “transição”, com algumas ações ainda pendentes que geram descontentamento dos moradores do Estado.

“Existem algumas coisas que precisam ser feitas e a população reclama, principalmente a área da saúde. Embora tenha a Caravana da Saúde, ela passa uma vez, dá o atendimento e não dá continuidade. Vejo com bons olhos reforçar as prefeituras e contratar mais médicos”, finaliza o pré-candidato ao Senado.

Jornal Midiamax