Para presidente, apoio de empresas deveria se restringir a um candidato

O presidente (PMDB) defendeu a volta do financiamento de campanha por parte de empresas, em entrevista concedida na última quinta-feira (24) ao jornalista do SBT Kennedy Alencar. O conteúdo da gravação só foi exibido nesta segunda-feira (28).

Para Temer, o financiamento empresarial de campanha poderia voltar, desde que as empresas restringissem o apoio financeiro a um só candidato ou partido. Isso evitaria casos como o da JBS, que doou para quase 2 mil campanhas de diferentes políticos pelo país. “Daí você higieniza [o processo]”, disse o presidente.

O presidente também defendeu o sistema distrital misto como modelo para as eleições dos membros do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas e das Câmaras Municipais. “[Defendo o] voto majoritário com a seguinte circunstância: não pode sair do partido”, disse Temer.Temer defende financiamento empresarial de campanha em entrevista

Segundo Temer, o distrital misto poderia evitar distorções como a eleição de deputados “carregados” por puxadores de votos, aqueles políticos que se elegem com muitos votos e aumentam o quociente eleitoral de sua coligação. “Para você ter uma conformidade constitucional, o voto majoritário, o distritão, seria o ideal”.

Na entrevista, o peemedebista ainda comentou sobre o pacote de privatizações anunciado na última semana. “Contestações são naturais. Se o Parlamento recusar, recusado está. Mas lembro da PEC do Teto, da reforma trabalhista, [que também foram criticadas, mas] foram aprovadas”, declarou Temer.