Política

Secretário adjunto será empossado como titular da Sejusp nesta quarta

Atual comandante dos Bombeiros será novo adjunto

Evelin Cáceres Publicado em 19/12/2017, às 13h12

None

Atual comandante dos Bombeiros será novo adjunto

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul dará posse nesta quarta-feira (20), às 15h, ao novo secretário da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), Antônio Carlos Videira. Ele é adjunto da pasta e assumirá como o titular, com a saída de José Carlos Barbosa, o Barbosinha, que retornará à Assembleia Legislativa. Em entrevista ao Jornal Midiamax, Videira afirmou que não solicitou o cargo. “Foi uma escolha técnica. Não sou político, sou delegado de polícia. Não é uma coisa que a gente pede, mas também não é uma coisa que a gente recusa”, disse.

Assumirá como adjunto o comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul, coronel Esli Ricardo de Lima.

Desafios

Para o novo secretário, o maior desafio da gestão é dar continuidade ao programa MS Mais Seguro. “Estou desde janeiro de 2015 na gestão, primeiro como superintendente de segurança pública, depois como adjunto. Tenho muita responsabilidade para buscar parceria para os projetos que começaram a ser desenvolvidos e devem ser continuados. A ideia agora nesta fase após a entrega de viaturas é a parte operacional, viabilizar o emprego do projeto em todas as partes do Estado”. 

Videira quer melhorar as relações entre Estados e países vizinhos com o compartilhamento de programas de inteligência para combater o crime, reduzindo custos e aumentando a segurança. “Estamos muito bem em relação ao tráfico internacional e interestadual. Nosso maior desafio é o tráfico doméstico e nossos programas são voltados para melhorar a segurança pública do Estado”.

 Cigarros 

As grandes apreensões de cigarros e os cartéis estaduais que comandam o contrabando do produto tambémm preocupam a segurança pública. “É competência da Polícia Federal, mas o DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e Polícia Rodoviária Estadual dão todo o apoio e suporte a este tipo de apreensão, já que a mesma estrutura é usada pelos criminosos para contrabandear armas e drogas”.

Para o titular da Sejusp, é preciso combater a estrutura.  “As agências de inteligência fazem o enfrentamento do contrabando, é uma modalidade de crime que alicia e temos que cortar muitas vezes da própria carne. O cigarro é fabricado no país vizinho com péssima qualidade e lá não é crime. Mas no Brasil combatê-lo é um desafio, é um crime contra a saúde pública, não é só pelo tributo que não é recolhido. Então nós precisamos e vamos enfrentar sim esses grandes cartéis”.

Corrupção

Sobre os escândalos que denunciaram corrupção envolvendo o suposto esquema de corrupção e tráfico de drogas envolvendo servidores e integrantes de facções criminosas no Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, o Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, o secretário de Segurança afirmou que todos os casos são acompanhados por sindicâncias.

“Em um órgão com mais de 10 mil homens trabalhando nas ruas, um ou outro vai delinquir. Mas para eles tem a Corregedoria, que apura, pune e exonera se ficar comprovado que agiu com má fé e foi corrupto. A corregedoria da Agepen tem apurado, as pessoas estão respondendo seus processos. Meu papel como secretário vai ser garantir os resultados já conquistados na queda de homicídos, combater os furtos e roubos e o tráfico doméstico, aumentando o nível de qualidade que o próprio órgão tem alcançado”.

(Matéria editada às 10h58 para acréscimo de informações). 

Jornal Midiamax