Grupo que lavava dinheiro continuaria operando, diz PF

A Polícia Federal está realizando buscas na manhã desta quinta-feira (26) no prédio do Ministério do Turismo, no âmbito de uma operação que investiga um suposto esquema de lavagem de dinheiro.

A Operação Lavat é um desdobramento de outra operação da Polícia Federal, a Manus, que também apurava crimes de lavagem de dinheiro. Em junho, a Operação deu origem à prisão do ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Segundo nota da Polícia Federal, “foram identificadas fortes evidências quanto à atuação de outras pessoas pertencentes à organização criminosa, que continuou praticando crimes de lavagem de dinheiro e ocultação de valores para o chefe do grupo”.PF investiga organização criminosa e faz buscas no Ministério do Turismo

A organização criminosa teria fraudado licitações em diversos municípios do Rio Grande do Norte, Estado que elegeu Henrique Alves, visando obter contratos públicos para alavancar a campanha ao governo do Estado do ex-ministro, em 2014.

Ao todo, o grupo teria desviado cerca de R$ 5,5 milhões em contratos. O nome “Lavat” faz referência ao provérbio latino “Manus Manum Fricat, Et Manus Manus Lavat”, que significa “uma mãe esfrega a outra, uma mão lava a outra”.