Ministros de Temer voltam à Câmara para votar pela reforma trabalhista

Reforma deve ser votada nesta quarta-feira
| 26/04/2017
- 14:32
Ministros de Temer voltam à Câmara para votar pela reforma trabalhista

Reforma deve ser votada nesta quarta-feira

O governo de (PMDB) exonerou por um dia os ministros da Educação, Mendonça Filho (DEM), de Cidades, Bruno Araújo (PSDB) e de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho (PSB), para retornarem à Câmara dos Deputados e reforçarem a aprovação da .

A reforma, que teve seu relatório aprovado em comissão especial nesta terça-feira (25), deve ser levada para votação no plenário da Câmara nesta quarta (26).

A estratégia de Temer teve dois sucessos: primeiro, o presidente incluiu mais três deputados que, por força do cargo de primeiro escalão, devem votar à favor da aprovação da reforma trabalhista.

Segundo, porque recentemente o PSB negou-se a votar a favor das reformas trabalhista e previdenciárias. A traição do partido governista foi aprovada em reunião da Executiva Nacional, com pena de expulsão aos deputados que votarem a favor.

Com a saída dos ministros Mendonça Filho e de Bruno Araújo, seus suplentes assumem seus postos no Planalto, e ambos são do PSB pernambucano: Creuza Pereira e Serino Ninho. Tirando-os da Câmara o governo garantiu que dois votantes contrários à reforma não possam participar da sessão.

Além disso, o ministro Fernando Filho, que também é do PSB, era líder do partido na Câmara. Temer espera que em seu retorno à Casa Legislativa o ministro produza uma adesão à aprovação da reforma, impedindo o PSB de expulsar os votantes a favor.

O jornalista político Josias de Souza, do blog da UOL, explica que essa estratégia tem muitas chances de dar certo. O governo espera que metade dos 35 deputados do PSB sigam o caminho de Fernando Filho e votem à favor da reforma. 

Com medo de perder metade de seus parlamentares, e com isso receber uma parcela menor do fundo partidário, seria praticamente impossível que o PSB expulsasse uma parcela tão grande de deputados traídores, diz Josias.

Veja também

Relator da Comissão Processante votou pelo arquivamento do processo, que recebeu dois pareceres favoráveis para continuação

Últimas notícias