Problema de intolerância ao glúten

Com a intenção de dar visibilidade para o problema de intolerância ao glúten, que atinge dois milhões de pessoas no País, com base em estatística mundial, a Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) realizou, hoje, o fórum para debater a política nacional da doença e a criação do “Dia Nacional dos Celíacos”. A iniciativa quer incentivar a implementação do protocolo da doença no Sistema Único de Saúde (SUS) para que a população tenha acesso mais rápido ao diagnóstico e ao tratamento na rede pública.Mandetta sugere primeiro estudo de incidência nacional da doença celíaca

A doença celíaca é caracterizada pela intolerância ao glúten, proteína encontrada no trigo, na cevada e no centeio, que provoca inflamação no intestino podendo causar vários sintomas que dificultam o diagnóstico.

Na Câmara dos Deputados, já tramita o Projeto de Lei 6666/16, da Comissão de Legislação Participativa, que institui o “Dia Nacional da Pessoa com Doença Celíaca”, a ser celebrado em 20 de maio de cada ano. Nesse dia, já é celebrado o “Dia Internacional dos Celíacos”, mas a data não foi oficializada no Brasil e que poderia estimular ações de divulgação da doença.

O deputado Mandetta(DEM/MS)  é relator do PL 1110/15 que tramita com mais doze projetos apensados, entre eles o PL 6666/16. “A ideia, a princípio é condensar e fazer um projeto consolidado com a política nacional para a doença celíaca”, afirma. “É preciso contemplar todos os eixos: o eixo da educação, o eixo pesquisa, o eixo alimentação e o eixo tratamento dentro de um marco. Isso é muito complexo e temos que estudar juntos a melhor maneira de fazer”, afirma.

Na visão do parlamentar, o Ministério da Saúde deveria realizar o primeiro estudo de incidência da doença celíaca nacional. “Analisei estudos de outros países, mas não temos estudo de incidência brasileira para saber a prevalência, as áreas, é muito diferente de país para país. Precisamos mapear a situação da doença no país zoneando por regiões”, sugere.

Participaram do fórum a representante do Conselho Nacional de Saúde Zaíra Maria Salerno, a diretora do Departamento Atenção Especializada e Temática do Ministério da Saúde, Maria Inês Gadelha, a coordenadora-geral de Alimentos do ministério, Michelle Lessa, a presidente da Federação das Associações de Celíacos do Brasil, Cleoneide Pinheiro e a presidente da Associação de Celíacos do Brasil (Acelbra), Elda Galvão.