Delação diz que todos frigoríficos pagam propina

O presidente da Assocarnes (Associação de Matadouros, Frigoríficos e Distribuidores de Carnes de Mato Grosso do Sul), João Alberto Dias, a afirmação de que todos os frigoríficos de Mato Grosso do Sul pagariam propina para obtenção de benefícios, foi feita como tentativa de ‘minimizar a culpa deles’. 

“No Mato Grosso do Sul, que nós temos conhecimento, é um negócio generalizado no nosso setor frigorífico essa modalidade”, afirmou Wesley Batista, um dos donos da JBS, em depoimento à PGR (Procuradoria Geral da República). 

Dias afirmou ao Jornal Midiamax a tentativa de Wesley foi minimizar a polêmica. “A leitura que fazemos é que ele quis minimizar a culpa deles. Ele quis dizer que era uma prática rotineira”, defende. O presidente da associação diz que as operações de pedido de benefícios da indústria de carnes do estado são pautadas pela legislação. “Quando uma empresa requer benefícios para o estado, dentro da lei e o estado concede, acreditamos que tudo esteja correndo dentro do normal”, declara. 

‘Ele quis minimizar a culpa’, diz associação sobre citação de frigoríficos de MS pela JBS

Para Dias, as declarações que afetam a indústria são generalizadoras e sem fundamentos. “Ele falou em termos gerais. Nessa generalização temos que imaginar que são todos os setores. Já imaginou analisar e auditar todos os benefícios concedidos pelo governo? É diferente de quando faz acusação e quando apresenta provas. Ele generalizou sem nenhuma materialização, ele teria que apontar”, finaliza.