Política

Acusado de quebrar vidro da Assembleia pagou fiança de R$ 230 e assinou TCO

Cidadão foi liberado na terça-feira

Ludyney Moura Publicado em 29/11/2017, às 13h39

None

Cidadão foi liberado na terça-feira

Um dia depois dos protestos contra o projeto de reforma da previdência, o cidadão suspeito de quebrar a porta de vidro na entrada da Assembleia Legislativa, segundo as investigações, não seria servidor do Estado.

O suspeito, que teria se jogado duas vezes contra a vidraça para conseguir quebra-la, disse aos policiais que seria servidor da SED (Secretaria de Estado de Educação), lotado no município de Pedro Gomes, região Norte do Estado, depois voltou atrás e negou ser servidor público.

Diante das inconsistências do depoimento do suspeito, o delegado estipulou uma fiança de R$ 230, que foi paga e permitiu ao cidadão deixar a delegacia, onde ele também assinou um TCO,  um registro de um fato tipificado como infração de menor potencial ofensivo.

Um inquérito será aberto e o acusado foi indiciado pelo crime de dano ao patrimônio público, cuja pena pode chegar a seis meses de detenção ou multa. 

Jornal Midiamax