Castilho tem longa trajetória na PM e na política de MS

O Senador pelo Estado de Mato Grosso, Blairo Maggi que assumiu o Ministério da Agricultura do governo do presidente interino da República, Michel Temer convidou um nome conhecido em Mato Grosso do Sul, Coronel Castilho, para chefiar o gabinete da pasta.

Coronel da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Coaraci Nogueira de Castilho assessorou por muitos anos o saudoso senador Ramez Tebet.

Em entrevista exclusiva ao Perfil News, Castilho que já está, em Brasília, informou que recebeu o convite para chefiar o gabinete do Ministério da Agricultura de Blairo: “Ainda estou definindo qual cargo vou exercer, o convite foi para trabalhar como chefe de gabinete ou assessor especial do Ministério”.

Com a chegada do tenente-coronel, MS passa a ser representada indiretamente no Ministério da Agricultura por um sul-mato-grossense de coração, pois Coaraci é natural de Cuiabá (MT), mas desde os 13 anos de idade mora em Campo Grande, onde iniciou sua carreira na Polícia Militar do Estado.

Trajetória

Com 57 anos, 40 deles de serviços prestados aos estados de MS e MT, Coaraci formou-se na primeira turma da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, em 1979. Foi ajudante de ordem quando Ramez Tebet, até então vice-governador assumiu o governo do estado; chefe de gabinete dos senadores Ramez Tebet e Valter Pereira (MT); Coordenador da Defesa Civil e Chefe de Gabinete da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e desde 2011 atua como chefe de gabinete do Senador Blairo Maggi. Nogueira usa a frase “Sempre fiel e dedicado ao bem comum da sociedade”, para definir sua visão de trabalho.

Maggi é conhecido como “rei da soja”, o primeiro mandato de Blairo foi em 1994, como primeiro suplente do senador Jonas Pinheiro (MT). Foi eleito governador do Mato Grosso em 2002 e reeleito em 2006. Em 2011, elegeu-se senador pelo estado do Mato Grosso. Em 1973, fundou a empresa Sementes Maggi, que hoje transformou no Grupo Amaggi, com atividades que incluem, além da produção de soja e sementes, operações portuárias, transporte fluvial e geração de energia elétrica.