A data foi instituída pela Lei estadual 2235/2001

Muito além da polca, da guarânia, do tereré, da sopa paraguaia e do artesanato, o povo paraguaio vem contribuindo para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, na avaliação do deputado Cabo Almi (PT). Ele propôs a sessão solene, realizada nesta sexta-feira (13), em homenagem ao Dia do Povo Paraguaio.

A data foi instituída pela Lei estadual 2235/2001 e as celebrações antecedem as festividades do Dia da Independência do Paraguai – 15 de maio. “Eu aprendi a preparar a erva-mate para o tereré com os paraguaios, meus vizinhos, e que hoje aqui, como nossos irmãos, continuam a contribuir e a nos ensinar”, afirmou o deputado. Para Cabo Almi, a proximidade com o País estimula o intercâmbio cultural e as atividades econômicas, especialmente no comércio. 

“Estamos muito perto, a cerca de 400 km do Paraguai, e espero que possamos nos aproximar cada vez mais e enaltecer as parcerias”, ressaltou. O deputado lembrou que atualmente 80 mil paraguaios e descendentes vivem em Campo Grande, pouco mais de 10% da população da cidade, e afirmou que a intenção é ampliar as homenagens e parcerias para as próximas solenidades, realizadas anualmente na Casa de Leis. Falou ainda da importância da atual convivência harmoniosa entre Brasil e Paraguai, que já se enfrentaram na chamada Guerra do Paraguai, entre os anos de 1865 a 1870. Iniciando o discurso em guarani, e defendendo que o idioma seja o segundo oficial em Mato Grosso do Sul, o ministro Angel Adrian Gill Lesme, cônsul do Paraguai em Campo Grande, disse que os tempos são de gratidão.

“Minhas congratulações e agradecimentos ao povo de Mato Grosso do Sul, meus patrícios, porque juntos, com a força de trabalho de todos, mais os gaúchos e outros, formaram esse belo estado de Mato Grosso do Sul”, disse. “Muitas famílias aqui se estabeleceram e agora temos é que olhar para o futuro, que é promissor”, complementou. Apresentações musicais típicas marcaram a solenidade, que contou com a participação de grupos de danças folclóricas, cantores, entre outras personalidades. Os homenageados receberam o Diploma de Honra ao Mérito Comemorativo ao Dia do Povo Paraguaio.

“Muito nos honra essa homenagem e só podemos dizer que o povo paraguaio luta sempre pelo que é seu por direito”, disse o desembargador João Batista da Costa Marques, que discursou em nome dos agraciados da noite. O presidente da Associação Colônia Paraguaia, Silvio Cantero, disse que as tradições são preservadas e valorizadas em Mato Grosso do Sul, onde vivem 300 mil paraguaios e descendentes. A entidade oferece cursos de guarani, de dança folclórica, culinária, e em breve terá curso de harpa. “Buscamos parcerias, oferecemos os cursos em nosso ponto de cultura e sempre é uma grata satisfação quando levamos os grupos para se apresentarem”, afirmou.