Agora o relatório segue para Comissão de Constituição e Justiça

Depois de o relator da Comissão de Ética do Senado Federal, senador Telmário Mota (PDT-RR), votar pela perda do mandato do senador (sem partido-MS), os demais parlamentares do grupo aprovaram o relatório sugerindo a cassação de Delcídio por quebra de decoro parlamentar, na tarde desta terça-feira (3).

Foram 13 votos favoráveis e uma abstenção, sendo do presidente do colegiado, senador João Alberto Souza (PMDB-MA). Agora, o relatório segue para ser analisado na Comissão de Constituição e Justiça da casa e, depois, se aprovado, vai ao Plenário. A leitura do relatório de 158 páginas ocorreu no começo da tarde de hoje com o voto do relator.

A previsão, segundo o Jornal Folha de São Paulo, é que o texto seja analisado já nesta quarta-feira (4), pela comissão, e na sequência já seja devolvido para a Comissão de Ética. Em seguida, cabe ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), definir a data para pautar a cassação em plenário.

Delcídio foi preso pela Polícia Federal, no dia 25 de novembro do ano passado por tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. A prisão ocorreu após Bernardo Ceveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, ter gravado uma reunião em que Delcídio lhe oferece ajuda financeira para que Nestor Cerveró não contasse o que sabia aos investigadores da Lava Jato.

O senador de Mato Grosso do Sul ficou preso durante 87 dias em , mas foi solto em fevereiro após fechar acordo de delação premiada. Em dezembro de 2015, os partidos Rede e PPS protocolaram uma representação contra o senador no Conselho de Ética do Senado.