A exonaração de Jucá foi publicada hoje no DOU

Vitima de um grampo que pôs fim ao seu mandato de senador da República, o ex-líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (sem partido), comentou o caso da gravação que veio à tona entre o agora ex-ministro do planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

“Por muito menos, eu fui preso. Nada como um dia depois do outro! O caso é grave! Depois dos grampos da Dilma e do Lula e agora o do Jucá e do Sérgio Machado, o meu parece a Disney!!!! Aguardamos agora as providências de caráter judicial”, respondeu Delcídio à Rádio Gaúcha.

A exoneração de Jucá foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (24), apenas um dia após a revelação da gravação na qual ele fala em um ‘pacto' para deter a ‘sangria' provocada pela .

O senador por Roraima agora retorna ao Congresso para votar a nova meta fiscal construída em parte por ele, e que estabelece um déficit nas contas públicas de R$ 170 bilhões.

Já Delcídio, que foi preso em novembro de 2015 depois de ter sido flagrado em uma conversa na qual, julgaram os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), ele tentava obstruir o andamento da Lava Jato.

O senador Talmário Mota (PDT-RR), que relatou o caso de Delcídio na Comissão de Ética no Senado, revelou que seu partido vai entrar, contra Jucá, com o mesmo pedido que resultou na cassação do mandato do sul-mato-grossense.