Política

Caso de Olarte volta a julgamento nesta sexta e esposa vai depor a seu favor

Rose Modesto e Nelsinho Trad não devem comparecer

Midiamax Publicado em 21/01/2016, às 14h10

None
marmita_olarte.jpg

Rose Modesto e Nelsinho Trad não devem comparecer

O TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) ouve nesta sexta-feira (22), a partir das 9 horas, outras nove testemunhas do processo em que o vice-prefeito afastado de Campo Grande, Gilmar Olarte, responde por lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Rose Modesto (PSDB) e Nelsinho Trad (PTB) estavam entre os esperados, mas segundo a assessoria do Tribunal de Justiça, não devem comparecer. Rose vai depor no dia 5 de fevereiro e Nelsinho não foi relacionado.

Entre os esperados estão a esposa do ex-vice-prefeito afastado, Andrea Olarte, o vereador Cazuza (PP), Fabrício Amaral, Ricardo Freitas, Ismael Faustino, Walter Pereira, Valdir Pereira, Sebastião Vieira e Joacir Pereira.

O primeiro dia de audiência foi marcado pelo depoimento do prefeito Alcides Bernal (PP) e pela desistência da defesa em relação ao ex-governador André Puccinelli (PMDB). Ele chegou a comparecer no TJMS, mas foi dispensado pela defesa do acusado.

Olarte responde por suposto uso de cheques para financiar cassação de Bernal. Uma das testemunhas, Edmundo de Freitas, disse no primeiro dia de depoimento, em novembro de 2015, que trocou R$ 240 mil em cheques para o vice-prefeito, com promessa de obtenção de vantagem.

Edmundo disse que Ronan Feitosa e Olarte intermediariam serviços para ele com empreiteiras e que levaram cheques de terceiros para ele trocar. “Ficaram saldados três cheques de R$ 4 mil e outros 13 voltaram, deixando uma dívida de R$ 240 mil”, disse o empresário, chorando à época.

Jornal Midiamax