Política

Após usar atriz para simular candidata, Bernal perde 12 minutos de propaganda

Ela usava roupas brancas e estava coberta de lama

Joaquim Padilha Publicado em 23/09/2016, às 14h35

None
rosebernal.jpg

Ela usava roupas brancas e estava coberta de lama

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) julgou procedente nesta sexta-feira (23) uma representação da coligação “Juntos Por Campo Grande”, da candidata Rose Modesto (PSDB), que solicitava a perda de 12 minutos do tempo de propaganda eleitoral televisiva do candidato Alcides Bernal (PP), seu vice Ulisses Duarte (PP) e a coligação “Nossa Força é a Nossa Gente”.

A propaganda de 30 segundos, veiculada por doze vezes entre os dias 14 e 15, mostrava a silhueta de uma atriz com vestes brancas e cabelos compridos, coberta de lama e segurando uma xícara de café que, segundo a decisão judicial, simularia a candidata Rose Modesto, fazendo também alusão às operações policiais Coffe-Break e Lama Asfáltica.

Durante o vídeo com a atriz, um locutor reproduzia os seguintes dizeres: “-A luz da história define contornos de uma triste realidade. Já podemos ver pessoas manchadas pelos escândalos de corrupção. Não existe campanha milionária e nem maquiagem capaz de esconder tanta sujeira. Vamos acabar com isso.”

Para a juíza Eucelia Moreira Cassal, que proferiu a decisão, não há dúvidas que a propaganda eleitoral tem o objetivo de degradar ou ridicularizar a candidata tucana, embora a defesa de Bernal tenha alegado que a propaganda fazia referência a “outras mulheres”.

“Toda a imagem criada em cenário demonstra a pretensão de gerar naquele que assiste a propaganda a ideia de que se trata da candidata da representada. A soma das circunstâncias demonstra claramente tal pretensão: a atriz possui características físicas bastante semelhantes; vestida com uma camisa branca, como a candidata na maioria de suas fotos de campanha; tipo e cor de cabelo”, diz a decisão.

O candidato do PP foi punido com 12 minutos a menos no tempo de veiculação de propaganda eleitoral, que seria o dobro do tempo em que o vídeo foi veiculado. Bernal, o vice Ulisses e a coligação “Nossa Força é a Nossa Gente” foram punidos também pela utilização de montagem e trucagem.

(Sob supervisão de Evelin Araujo) 

Jornal Midiamax