Política

Vereadora diz que pedido para afastar Olarte deve ser votado até terça

Ofício terá como base Lei Orgânica do Município

Jessica Benitez Publicado em 12/08/2015, às 16h43

None
luiza.jpg

Ofício terá como base Lei Orgânica do Município

A vereadora Luíza Ribeiro (PPS), integrante da bancada de oposição, acredita que o pedido de afastamento imediato do prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), será votado até a próxima terça-feira (18) pela Câmara Municipal. O ofício com a solicitação esta sendo feito nesta quarta-feira (12) e deve ser protocolado na casa até a manhã de quinta-feira (13). A oposição está embasada no artigo 23, inciso XIV, da Lei Orgânica do Município.

A decisão foi tomada após o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) aceitar a denúncia do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) contra o prefeito. “Vamos pedir o afastamento porque ele agora está respondendo pelos crimes. Até amanhã vamos protocolar e acredito que, por ter que passar pela procuradoria jurídica, na sessão de terça entra em votação”, explicou.

Caso o ofício seja aprovado, Olarte será afastado do Paço até que as investigações sejam concluídas. Além disso, Luíza acrescentou que a oposição acredita que o pedido de abertura de Comissão Processante passará pelo crivo do parlamento. “Todos os órgãos cumpriram seus respectivos papéis, temos que cumprir o nosso”, avaliou.

A legisladora ressaltou, ainda, que uma das justificativas para instauração da comissão é justamente a investigação da qual chefe do Executivo se tornou réu hoje pela manhã.  Em ação judicial ele é acusado, pelo Gaeco, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Jornal Midiamax