Política

Vereador do PMDB recomenda que secretário entregue cargo na Sesau

'Saúde não pode ser tratada da forma como está'

Midiamax Publicado em 21/05/2015, às 14h31

None
img-20150521-wa0065.jpg

‘Saúde não pode ser tratada da forma como está’

O vereador Paulo Siufi (PMDB) revelou, durante a sessão desta quinta-feira (21) na Câmara Municipal, ter pedido ao titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), Dr. Jamal Salem (PR), que deixe o cargo. O SinMed (Sindicato dos Médicos) foi até a casa pedir apoio dos parlamentares na campanha salarial da categoria.

“Já disse ao Jamal para que entregue a secretaria ao prefeito (Gilmar Olarte – PP), deixe que ele indique alguém ou ele mesmo seja o secretário”, disse Siufi, alegando discordar da forma como a Prefeitura conduz o setor. Ele e Jamal são médicos é foram eleitos vereadores pelo PMDB.

Segundo Siufi, “a saúde não pode ser tratada da forma como está”. O vereador defendeu que a Prefeitura reveja a decisão de cortar gratificações dos médicos e, inclusive, as incorpore aos salários.

As declarações de Jamal ocorreram após pronunciamento do presidente do SinMed, Valdir Siroma. Ele foi pedir apoio dos vereadores na campanha salarial – a principal reivindicação é a revogação do corte das gratificações, que podem até dobrar o salário dos médicos.

Os médicos estão em greve e, mesmo após decisão da Justiça favorável à Prefeitura para a normalização dos trabalhos, o atendimento continua restringido. O SinMed alega não ter sido notificado oficialmente e, tão logo seja, irá recorrer da decisão.

Agentes de saúde

Além dos médicos, o Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais) também participa da sessão nesta quinta. O presidente, Marcos Tabosa, foi pedir a votação de projeto que mexe no piso salarial de agentes comunitários de saúde e de combate a endemia.

Em pronunciamento, Tabosa pediu que os vereadores reprovem emenda incluindo agentes de saúde na proposta. Recebeu vaias de representantes da categoria, presentes no plenário, e ouviu respostas negativas também por parte de vereadores.

Jornal Midiamax