Sem reajuste, algumas secretarias podem reduzir carga horária

Sindicato aceitou acordo, mas recorrerá à Justiça
| 08/05/2015
- 15:02
Sem reajuste, algumas secretarias podem reduzir carga horária

Sindicato aceitou acordo, mas recorrerá à Justiça

A comissão criada pelo prefeito Gilmar Olarte (PP) para negociar salário com o Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande () conseguiu impedir a . No acordo a prefeitura convenceu servidores a reduzir a carga horária para compensar o fato de não terem reajuste.

Pelo acordo, a partir do dia 1º de junho alguns servidores reduzirão a carga horária de 40 para 30 horas por um ano. Porém, a redução da carga horária não será para todas as secretarias, deixando servidores sem reajuste e sem a redução.

Segundo o presidente do Sisem, Marcos Tabosa, até o momento está confirmada a redução para funcionários da Secretaria de Planejamento e Finanças, Secretaria de Administração, Fundação Social do Trabalho, Fundação do Municipal do Esporte, Secretaria de Educação e Secretaria de Desenvolvimento.

Além da redução, o sindicato conseguiu aumentar o pró-funcionário de 30% par 40% do base para servidores do administrativo da Educação e aumento do bolsa alimentação de R$ 120 para R$ 190 aos administrativos da Educaçao e de R$ 140 para R$ 160 para os agentes comunitários de saúde e combate a endemias.

Apesar do acordo, Tabosa garantiu que vai acionar a Justiça para garantir pelo menos a reposição da inflação. Segundo o presidente do Sisem, a maioria dos, aproximadamente, 500 servidores que participaram da assembleia, aprovaram o acordo.  Ainda de acordo com Tabosa, o prefeito garantiu que vai se livrar da crise em seis meses e pode dar o reajuste aos servidores.

Veja também

Os investimentos serão feitos em obras de mobilidade urbana, pavimentação, recapeamento e outros

Últimas notícias