Política

Puccinelli diz que tem nota pronta, mas espera ser citado para comentar sobre operação

PF diz que nomes encontrados em documentação serão apurados

Jessica Benitez Publicado em 09/07/2015, às 19h31

None
andre_puccineli_-_dg.jpg

PF diz que nomes encontrados em documentação serão apurados

O ex-governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), já tem nota oficial pronta sobre a Operação Lama Asfáltica, mas não vai se pronunciar enquanto não for de fato citado pela Polícia Federal. Durante busca e apreensão realizada hoje pela manhã, um dos alvos foi o empreiteiro João Amorim, detentor de muitos contratos firmados na gestão do peemedebista, bem como do ex-prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB). 

Amorim, inclusive, é ex-cunhado de Nelsinho, já que o empresário é irmão da ex-primeira dama e deputada estadual, Antonieta Amorim (PMDB). Durante coletiva de imprensa da PF, nesta tarde, o delegado Antônio Carlos Knoll não descartou que os peemedebistas entrem na investigação.

Ele esclareceu que todos os nomes encontrados na documentação recolhida por meio de 19 mandados de busca e apreensão serão investigados, seja quem for. A operação tem o objetivo de desarticular organização criminosa especializada em desviar recursos públicos, inclusive federais, por meio de fraudes a licitações, contratos administrativos e superfaturamento em obras públicas.

Os prejuízos somam, aproximadamente, 11 milhões de reais, de um montante fiscalizado de 45 milhões de reais. O ex-secretário de Obras do Estado na gestão de André, Edson Giroto (PR) e o ex-secretário Municipal de Habitação de Infraestrutura, Transporte e Habitação na administração de Nelsinho, João Antônio De Marco, são alvos da investigação.

Jornal Midiamax