Política

Prefeito afastado e empreiteira viram alvo de investigação por fraude em construção de UBS

Inquérito civil foi aberto para apurar caso

Jessica Benitez Publicado em 14/10/2015, às 22h48

None
renato_0.jpg

Inquérito civil foi aberto para apurar caso

O MPE (Ministério Público Estadual), por meio do promotor de Justiça, Alexandre Estuqui Júnior, anriu inquérito civil para investigar o prefeito afastado de Bela Vista, Renato de Souza Rosa (PSB), bem como a empresas Mak Construtoras e Comércio Ltda, pela pessoa de Franklin Araújo Magalhães, por improbidade administrativa.

A denúncia é de que houve fraude em licitação para construção de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) do PSF (Programa de Saúde da Família) no bairro Planalto do referente município.

Além do esquema fraudulento, há suspeita de “contratação irregular, terceirização irregular de serviços e desvio de verbas relacionadas ao Contrato nº 194/2013, Tomada de Preços nº 010/2013”, diz a publicação do Diário Oficial desta quinta-feira (15).

Renato foi afastado do Executivo por 180 dias em 17 de agosto. A decisão partiu da Câmara Municipal da cidade. Após receber documento da Promotoria de Justiça acerca de diversas irregularidades, o Legislativo instaurou CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar possível improbidade administrativa do prefeito.

À época, oito dos 11 vereadores votaram a favor. Outra denúncia de destaque é que os funcionários do único hospital de Bela Vista, o Hospital São Vicente de Paula, estariam há três meses sem receber salários da prefeitura.

Jornal Midiamax