Vereador quer que base seja investigada

Presidente da Câmara, o vereador Flávio Cesar (PTdoB) avaliou a investigação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) nesta segunda-feira (19) e, após a divulgação do depoimento da vereadora (PPS) disse que os trabalhos do Ministério Público devem ser estendidos aos parlamentares da base.

Para ele, a investigação é unilateral e deve ser mais ampla principalmente sobre a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP). “O vereador Paulo Pedra, que agora é secretário de governo de Bernal, por exemplo, votou a favor da abertura da comissão processante e no meio do caminho negociou a indicação do titular da Emha. Depois mudou e votou contra a cassação, mesmo a processante apresentando elementos suficientes para comprovar a prática de crimes de improbidade”, ressaltou.

Flávio defende que o Gaeco deveria apreender o celular do Pedra, Luiza Ribeiro, Cazuza e do prefeito Bernal. “Com certeza eles encontrariam elementos importantes para contribuir com toda a investigação”.