Política

Em trâmite há oito anos, vereadores afirmam não conhecer ação sobre salários

Vereadores receberiam acima do teto constitucional 

Evelin Cáceres Publicado em 14/07/2015, às 13h56

None
camara.jpg

Vereadores receberiam acima do teto constitucional 

Os vereadores Edil Albuquerque (PMDB), Marcos Alex (PT) e Paulo Pedra (PDT) afirmaram nesta terça-feira (14) que não tinham conhecimento sobre a ação popular que pede os holerites dos vereadores em 2008 por suspeita de recebimento acima do teto constitucional., entre vantagens e benefícios. 

Apesar da negativa, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul afirmou que a ação já tramita há oito anos por falta de colaboração da Câmara em fornecer os dados de forma precisa.

Dos 21 vereadores da época, oito ainda estão na Câmara, dois são deputados estaduais, um é secretário de Estado e outros dois são o ex-prefeito cassado Alcides Bernal e o atual Gilmar Olarte. Para Alex, a ação é desconhecida. “Não recebi nenhuma intimação e não sabia de nada”. Pedra alegou saber do caso pela imprensa. “Só tive conhecimento agora”.

Edil disse que também não sabia, mas que não tem problema em fornecer as informações. “Não tenho nada a esconder, podem pedir qualquer documento”.

A ação é movida contra Alcides Bernal, Gilmar Olarte, Athayde Nery, Celso Yanase, Clemêncio Ribeiro, Cristovão Silveira, Djalma Flores, Edil Albuquerque, Edmar Neto, Grazielle Machado, Cabo Almi, Airton Saraiva, Magali Picarelli, Marcelo Bluma, Marcos Alex, Maria Emilio Sulzer, Paulo Pedra, Paulo Siufi, Sergio Fontelles dos Santos, Thais Helena e Vanderlei Cabeludo, que eram vereadores na época.

Jornal Midiamax