Política

Corumbá e Dourados não aderem à paralisação, mas Campo Grande para

Prefeituras fecham portas nesta segunda-feira

Midiamax Publicado em 10/08/2015, às 09h56

None
fachada-paco-municipal_cleber-gellio-107-8.jpg

Prefeituras fecham portas nesta segunda-feira

As prefeituras de Dourados e Corumbá não fecharam as portas nesta segunda-feira (10), quando várias prefeituras de Mato Grosso do Sul, incluindo Campo Grande, fecham as portas em protesto contra a falta de repasses do Governo Federal.

Os prefeitos alegam que o governo federal deveriam ter repassado R$ 30 milhões neste mês e apenas R$ 14 milhões chegaram aos cofres, impedindo a continuidade de obras agendadas pelas prefeituras.

Eles também reclamam do contingenciamento no Orçamento da União, que passou de R$ 69,9 bilhões para R$ 79,4 bilhões. Os prefeitos dizem acreditar que devam ficar sem receber cerca de R$ 140 milhões dos chamados restos a pagar, de 2013 e 2014.

Segundo a Assomasul, os repasse do Fundo de Participação dos Municípios reduziram 28% nos meses de junho e julho deste ano. Os prefeitos calculam prejuízo de, aproximadamente, R$ 21 milhões de um mês para o outro.

Os prefeitos alegam ainda que, no total, os municípios já perderam R$ 1,2 bilhão nos últimos quatro anos com esta redução do Fundo de Participação dos Municípios, motivada, principalmente, pela isenção do IPI.

Ao aderir à programação, o prefeito Gilmar Olarte (PP) também reclamou da redução de FPM. Segundo ele, em maio Campo Grande recebeu R$ 10.843.295,23 de repasse, passando para  R$ 9.435.295,23 em junho e  R$ 8.400.623,58 em julho.

Jornal Midiamax