Política

Comissão que investiga vereadores terá de substituir presidente

Novo presidente lidera Comissão de Ética

Midiamax Publicado em 27/11/2015, às 16h27

None
camara.jpg

Novo presidente lidera Comissão de Ética

O agora o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB), terá de deixar a presidência da Comissão de Ética, que investiga vereadores citados na Operação Coffee Break, que por sua vez, apura se houve esquema para a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), em março de 2014.

Acontece que o presidente não pode ocupar outra comissão e agora será avaliado qual partido poderá indicar membro para o substituir João Rocha na Comissão de Ética e, em seguida, uma nova eleição para presidente será feita. Até agora, os nove parlamentares investigados já entregaram uma defesa prévia, arrolaram testemunhas que seriam ouvidas, mas desistiram de mantê-las.

Nesta semana, a Comissão de Ética recebeu documentos, que foram compartilhados pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão e Combate ao Crime Organizado). Novamente, os parlamentares terão 10 dias de prazo para apresentação de uma segunda defesa, agora baseada nas novas informações. Depois disso, serão analisadas as respostas, para posterior julgamento, o que deve ocorrer somente ano que vem.

 Os vereadores investigados são: Airton Saraiva (DEM), Mario Cesar (PMDB), Carlão (PSB), Gilmar da Cruz (PRTB), Chocolate (PP), Paulo Siufi (PMDB), Edil Albuquerque (PMDB), Jamal Salem (PR), Edson Shimabukuro (PTB). A Comissão é formada pelos parlamentares Chiquinho Telles (PSD), Airton Araújo (PT), Herculano Borges (SD) e Vanderlei Cabeludo. 

Eleição

João Rocha foi o único a apresentar nome para eleição de presidente da Casa de Leis, que ficou vago após renúncia do vereador Mario Cesar (PSDB). Ele recebeu 27 votos favoráveis e 1 contra – houve uma abstenção.

Jornal Midiamax