Política

Câmara aprova requerimento da oposição sobre repasses da Prefeitura a creches

Líder até tentou evitar, mas pedidos passaram com crivo da base

Midiamax Publicado em 14/04/2015, às 15h58

None
thais_helena.jpg

Líder até tentou evitar, mas pedidos passaram com crivo da base

O líder do prefeito na Câmara Municipal, Edil Albuquerque (PMDB), bem que tentou, mas não conseguiu evitar a aprovação de dois requerimentos ao Executivo apresentados pela oposição durante a sessão desta terça-feira (14). Os questionamentos, sobre repasses a creches, passaram inclusive com anuência de membros da base.

A apresentação dos requerimentos foi feito por Thais Helena (PT). Um deles é sobre suposta falta de merenda, enquanto o outro questiona eventuais problemas nos repasses do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) por parte da Prefeitura às unidades educacionais.

Neste segundo caso, a petista apresentou inclusive reportagem, publicada pelo Jornal Midiamax, na qual o Senalba (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional) afirma haver várias creches conveniadas à Prefeitura com repasses atrasados.

O primeiro requerimento passou com votação simbólica. Quando viu a situação, Edil pediu que o segundo fosse votado nominalmente e pediu a negativa à base, mas não adiantou: placar final de 10 a favor e 5 contra.

Da base, votaram a favor do pedido petista os vereadores João Rocha (PSDB), Carlão (PSB), Carla Stephanini (PMDB) e Chocolate (PP). Contrários foram Airton Saraiva (DEM), Saci (PRTB), Loester (PMDB) e Coringa (PSD), além de Edil.

A vereadora petista quer saber, por exemplo, quantas creches estão conveniadas para receber recursos do Fundeb. Quer, também, cópias dos convênios e confirmação sobre atrasos nos repasses, bem como providências no sentido de regularizar eventuais situações adversas neste sentido.

O vereador João Rocha chegou a reclamar o fato de a vereadora usar reportagem da imprensa para fazer encaminhamentos na Câmara. “Não acho que há essa necessidade”, disse o tucano, que no fim das contas se contradisse, votando pelo requerimento.

Jornal Midiamax