Política

Sindicato vai ao MPE para solicitar afastamento de Bernal por improbidade

O presidente do Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande (Sisem), Marcos Tabosa, vai ao Ministério Público Estadual (MPE) nesta sexta-feira (19) para fazer uma denúncia e solicitar o afastamento do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). Tabosa alega que Bernal se apropriou indevidamente de um repasse de mais de R$ 500 […]

Arquivo Publicado em 19/07/2013, às 16h59

None
679813095.jpg

O presidente do Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande (Sisem), Marcos Tabosa, vai ao Ministério Público Estadual (MPE) nesta sexta-feira (19) para fazer uma denúncia e solicitar o afastamento do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). Tabosa alega que Bernal se apropriou indevidamente de um repasse de mais de R$ 500 mil que deveria ter enviado ao sindicato.

“Apropriou-se indevidamente do repasse do sindicato sem ter ordem judicial, seja liminar, mandado segurança ou medida cautelar. Ele não tem. Nós estamos no estado democrático de direito e as instituições devem ser respeitadas. Apropriou-se indevidamente”, acusou Tabosa.

A denúncia será feita ao promotor de Justiça Alexandre Saldanha, mas o advogado do sindicato, Reinaldo Leão Magalhães, explica que o processo ainda será distribuído. Na avaliação de Tabosa, Bernal retém o dinheiro em retaliação aos processos do sindicato contra a prefeitura. “Isso é retaliação porque o Sisem é uma das únicas instituições que foram para cima dele. Temos três processos contra ele”, denunciou.

O sindicato está processando o prefeito pelo não cumprimento das leis aprovadas na Câmara que reajustaram o salário de servidores e da lei que estabelece jornada de trabalho de 30 horas semanais para enfermeiros e assistentes sociais. Em outro processo o sindicato cobra as horas extras desde janeiro, visto que os profissionais continuam cumprindo a jornada antiga, acumulando dez horas extras semanais.

Tabosa afirma que Bernal não repassou verba referente à parcela da associativa e ao imposto sindical, descontados pela prefeitura na folha de pagamento. Mensalmente, a associativa arrecada cerca de R$ 34 mil e, anualmente, o imposto sindical rende aproximadamente R$ 450 mil.

Jornal Midiamax