Política

Pedro Chaves nega saída da administração, mas admite que cobrou celeridade de Bernal

Secretário quer concluir até a próxima semana trabalho que se propôs a fazer quando convocado por Berrnal: harmonizar poderes Legislativo e Executivo.

Arquivo Publicado em 07/12/2013, às 11h11

None
1405122053.jpg

Secretário quer concluir até a próxima semana trabalho que se propôs a fazer quando convocado por Berrnal: harmonizar poderes Legislativo e Executivo.

“Estamos colaborando, com uma missão que não é fácil. Estou firme até quando achar que é o momento”. Foi assim que o secretário de Governo de Alcides Bernal (PP), Pedro Chaves, respondeu, ao ser questionado se estaria deixando o posto. Ele contou a reportagem que nesta sexta-feira (6), durante reunião com o prefeito, pediu celeridade para concluir na próxima semana o trabalho que começou há mais de um mês, tendo como proposta principal uma harmonia entre o Poder Legislativo e o Poder Executivo.

Nos últimos dias, por conta da demora para anunciar aliados, foi apontado que Chaves deixaria a administração, fato que ele nega, embora admita que é preciso ação do Poder Executivo. “Há, realmente, uma pequena demora para a decisão. É um ritmo diferente. Na iniciativa privada você tem uma rapidez e as coisas são mais imediatas. Tudo o que eu fiz foi assim. Agora, no Poder Público, há desdobramentos. Mas, na segunda-feira (9) as coisas começam a acontecer”, justificou.

O secretário afirma que tem uma missão a cumprir e não pretende sair da administração sem garantir a harmonia necessária. Todavia, deixa escapar que a demora de Bernal tem prejudicado. “Não sou homem de parar no meio do caminho. Mas, temos que ter ação. Se fazemos um trabalho e não encontramos respaldo, fica difícil dar continuidade”, confidenciou.

Chaves conta que já conversou com diversos vereadores, de vários partidos, e espera uma efetividade para garantir apoio, independente de sigla. Ele não descarta ampliação da base com integrantes do PR, PDT e PMDB, avaliando que há disposição dos vereadores. “Eles estão demonstrando muito boa vontade. Os vereadores estão abertos a conversar e a ouvir”, garantiu.

O secretário de Governo trabalha com a possibilidade de ampliação da base com participação efetiva na administração, cedendo novos espaços. Ele entende que para um governo de coalizão é essencial a participação de outros partidos. “É importante que se faça uma administração plural, onde todos trabalhem com um objetivo maior, que é Campo Grande”, finalizou.

Bernal tem  as secretarias da Juventude e de Políticas Públicas para Mulheres para oferecer aos partidos políticos. Porém, alguns entendem que os cargos não são tão atraentes. Com as demais pastas preenchidas, Bernal está encontrando dificuldade para achar espaço. As pastas mais criticadas pelos vereadores na administração de Bernal são a da Saúde, comandada por Ivandro Fonseca, e Semadur, gerida pelo cunhado do prefeito,Odimar Marcon.

Jornal Midiamax