Política

Bueno é o quarto vereador a se manter no cargo em Campo Grande com liminar no TSE

Após as cassações por compra de votos serem confirmadas no TRE-MS, Thais Helena (PT), Delei Pinheiro (PSD), Paulo Pedra (PDT) e Alceu Bueno (PSL) conseguiram liminares com o mesmo ministro do TSE.

Arquivo Publicado em 19/12/2013, às 19h51

None
1868476109.jpg

Após as cassações por compra de votos serem confirmadas no TRE-MS, Thais Helena (PT), Delei Pinheiro (PSD), Paulo Pedra (PDT) e Alceu Bueno (PSL) conseguiram liminares com o mesmo ministro do TSE.

O vereador Alceu Bueno (PSL) conseguiu via Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma liminar para permanecer no cargo. Ele teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) e conseguiu na tarde desta quinta-feira (19) se manter no cargo até o julgamento final do processo de compra de votos.

“A gente estava bastante confiante por ver que o ministro entendia de outra forma, até porque não tem prova, só tem conversa e denúncias vazias. O mandato foi Deus que nos deu e que o povo tire a gente nas eleições e não essa de sair no ‘tapetão’”, ressaltou Alceu Bueno.

Outros três vereadores Thais Helena (PT), Paulo Pedra (PDT) e Delei Pinheiro (PSD) também conseguiram se manter no cargo, após apreciação de liminar pelo mesmo ministro, Henrique Neves da Silva, concedida ontem (18).

Hoje é o último dia de expediente no TSE e só volta em fevereiro, portanto o julgamento dos quatro vereadores deve ficar só para março de 2014. Se a liminar não fosse concedida, Francisco Luis do Nascimento (PRTB), conhecido como Saci, seria diplomado nesta tarde.

Jornal Midiamax