Política

Eleitores acusam militantes de Giroto de espalhar jornais contra Bernal pela cidade

Cabos eleitorais do candidato governista Edson Giroto (PMDB) foram flagrados por eleitores distribuindo gratuitamente por bairros de Campo Grande a edição de terça-feira (18) do Jornal O Estado de Mato Grosso de Sul, além de cópias da capa do diário e de reportagem do Jornal Correio do Estado. As matérias estampam denúncia do candidato Sidney […]

Arquivo Publicado em 19/09/2012, às 19h23

None
35330693.jpg

Cabos eleitorais do candidato governista Edson Giroto (PMDB) foram flagrados por eleitores distribuindo gratuitamente por bairros de Campo Grande a edição de terça-feira (18) do Jornal O Estado de Mato Grosso de Sul, além de cópias da capa do diário e de reportagem do Jornal Correio do Estado. As matérias estampam denúncia do candidato Sidney Melo (PSOL) contra o deputado estadual Alcides Bernal (PP), também candidato a prefeito da Capital.


No programa eleitoral de segunda-feira (16), Sidney levou o presidente da Cooperativa de Condutores Autônomos Rodoviários (Coopertaxi), Flávio Panissa, à televisão para acusar Bernal de prática de estelionato, agiotagem, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.


As reportagens dos dois jornais retrataram, na terça-feira, com destaque a denúncia e apresentaram imagens de cheque no valor de R$ 106,3 mil, que teria assinatura falsificada. Bernal atribuiu o pagamento a empréstimo feito à Coopertaxi em 2006. Hoje, o caso está nas mãos da Justiça porque o atual presidente da cooperativa não reconhece a dívida.


“Um carro adesivado com propaganda do Giroto e um ônibus deixou vários cabos eleitorais no Indubrasil e eles distribuíram pela região cópias dos jornais”, garantiu Manoel Rodrigues, morador do bairro. Segundo ele, o caso ocorreu na terça-feira à tarde.


Já Francisco Rodrigues da Silva morador do Bairro São Jorge da Lagoa, na região da grande Coophavila, se surpreendeu ao chegar em sua residência, no início da noite de ontem, e deparar-se com uma edição do Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul. “Cheguei em casa e o jornal estava de baixo da minha porta”, contou. Na capa, o diário apresenta o custo de R$ 0,50 por edição.


Rosa Maria da Silva, por sua vez, recebeu cópias dos dois jornais juntamente com o plano de metas do candidato governista. “Eu me senti um lixo ao ver isso na minha casa”, comentou. Indignada, ela denunciou o caso ao Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS). “Acho justo os candidatos irem aos bairros, conversar com as pessoas e apresentar suas propostas, mas jogo sujo eu não aprovo”, disse.


Ela reside no Conjunto Novo Paraná, na região norte de Campo Grande. “Todo mundo aqui recebeu as cópias de dois jornais junto com o material do Giroto”, acrescentou. “O pessoal achou isso uma maldade”, finalizou.


Para Bernal, o relato dos moradores é “prova incontestável que querem se beneficiar do atentado contra nossa credibilidade e muito provavelmente sejam eles os mentores dessa acusação”. Ele informou ainda que recebeu ligações de moradores do Jardim Tarumã, Mata do Jacinto, Vila Carlota, Santo Amaro, Dom Antônio Barbosa, São Francisco e Monte Líbano relatando a distribuição de cópias dos jornais.

Jornal Midiamax